:Licença Creative Commons

sábado, dezembro 30, 2006

Novo Ano...

Espero que o novo ano traga alegrias renovadas,
novas histórias de amizade e paixões encantadas,
novos projectos, novos desejos, novas ambições,
novo animo para velhas e delicadas situações,
espero que o novo ano traga mais compreensão,
mais cuidado com os outros e mais atenção,
mais alegria, mais paz, mais vontade de viver,
mais sonhos, mais paixão, mais vontade e querer,
espero que o novo ano cimente amizades verdadeiras,
que leve de vez as que são simples brincadeiras,
que leve as mágoas, as tristezas e as decepções,
que leve as angústias e as más recordações,
espero que o novo ano traga a cura para dores antigas,
que traga a ternura de verdades puras e sentidas,
que traga pessoas que sejam verdadeiras e importantes,
que traga novidades e que nada seja como antes.
Espero que o novo ano traga amores de verdade,
espero que as pessoas entendam o valor da amizade,
espero que os sorrisos se voltem a acender
nos rostos já cansados de dor e de tanto sofrer,
espero que o novo ano traga mil alegrias,
que traga novas e sinceras companhias,
que afaste a mágoa, a tristeza e a decepção
e que traga novo recomeço a cada coração.

Que 2007 seja o ano... aquele ano...

segunda-feira, dezembro 04, 2006

Pede-me...

Pede-me o dia e eu trago-te a eternidade,
pede-me o hoje e eu trago-te o amanhã,
pede-me a alegria e eu trago-te a felicidade,
pede-me a aurora e eu trago-te a manhã.
Pede-me o brilho e eu trago-te o sorriso,
pede-me a fé e eu trago-te a liberdade,
pede-me o incerto e trago-te o preciso,
pede-me a mão e eu trago-te fraternidade.
pede-me o sonho e eu trago-te a verdade,
pede-me o saber e eu trago-te o bem-fazer,
pede-me a visão e eu trago-te a realidade,
pede-me a vontade e eu trago-te o querer.
Pede-me o sol e eu trago-te o verão,
pede-me a lua e eu trago-te o luar,
pede-me o mundo e eu trago-te o coração,
pede-me a vida e eu trago-te o meu amar.
HP/

sexta-feira, dezembro 01, 2006

Passa...

Passa o tempo e passa a esperança,
passa o sonho e a vida também,
só não passa a doce lembrança
de um amor que já se não tem.
Passa o tempo como louco a correr,
passa sem parar nem ver ninguém,
e pouco a pouco sente-se a morrer
a ilusão de encontrar o nosso "alguém".
Passa o sonho entre nuvens de papel,
passa deixando-nos livres para sonhar,
e como escultura esculpida a cinzél
desenham-se novos horizontes no ar.
Passa o tempo, passa a vida a correr,
passa a juventude e a oportunidade,
apenas permanece este imenso querer
que o amor não tenho tempo ou idade.