:Licença Creative Commons

quinta-feira, junho 05, 2008

Uma noites destas em que o sono teimava em não chegar, sentei-me no sofá com o comando da televisão na mão e fui fazendo o famoso "zapping", até que um programa me chamou a atenção... era sobre pessoas que se tinham conhecido na internet. Havia histórias felizes, histórias tristes, histórias de amizade, de amor...e até histórias de casamentos imagine-se! E foi desse programa que nasceu o poema que a seguir vos deixo.




Quase todas as noites espero por ti no mesmo local,
sentada na mesma cadeira, com a mesma luz acesa,
sempre com a mesma esperança de que tu apareças,
espero sempre uma conversa que não seja banal,
no meu pensamento há sempre dúvidas e incertezas
porque receio que tu simplesmente não apareças.

Quase todas as noites aguardo ansiosa o teu contacto,
sentada na penumbra, envolve-me um silêncio quieto
quebrado apenas pelo aviso da tua entrada em linha,
espero que me vejas aqui, neste momento exacto,
espero sempre uma palavra, um sinal em tom discreto
que mantenha acesa esta esperança que é só minha.

Quase todas noites anseio por esta conversa virtual,
sentada sobre o peso das minhas dúvidas e receios
que me fazem fugir e usar palavras cheias de indecisão,
espero sempre uma deixa para desvendar a verdade fatal,
espero sempre que de vez ponhamos de parte os nossos receios
e abramos um ao outro o que vai dentro do nosso coração.

Quase todas as noites me despeço de ti com um beijo
que cada dia que passa lamento mais não ser de verdade,
quase todas as noites tu me fazes esboçar um sorriso,
espero por ti sempre com a ternura deste meu desejo
que a cada dia que passa me lembra a simples realidade:
tu és o amor que eu quero e de cada vez mais eu preciso!

Sem comentários:

Enviar um comentário