:Licença Creative Commons

segunda-feira, dezembro 14, 2009


In Jornal "Despertar do Zêzere" edição da 2ª Quinzena de Novembro

terça-feira, dezembro 01, 2009

"Vozes da Alma" Antologia Poética - Volume I


"Vozes que se fazem ouvir. Assim podemos definir cada texto desta colectânea. Alguns versos mais parecem sussurros, enquanto outros soam como gritos outrora presos na garganta.
A Antologia Vozes da Alma é composta por escritores experientes e principiantes de todas as regiões brasileiras, somando-se uma representante lusitana. São vozes d'aqui e d'além mar, realçando a riqueza da lingua portuguesa. (...)"

Este texto faz parte do prefácio da Antologia Vozes da Alma, organizada pela editora brasileira Pensata, onde está publicado o meu poema "Vieste no silêncio" e que é a participação lusitana referida no prefácio.

Vieste no silêncio

Vieste no silêncio das palavras que nunca dissemos
e na quietude dos gestos que nunca trocámos,
vieste sem aviso prévio nem qualquer notificação,
vieste simplesmente e balançaste o meu coração,
vieste e falámos daquilo que sempre escondemos,
vieste e falámos daqulio que sempre evitámos.

Vieste no silêncio de um fim de tarde invernal
e na fria quietude do vento que cortava o espaço,
vieste sem que estivesse à espera da tua chegada,
vieste simplesmente de forma breve e inesperada,
vieste e falaste do que para ti nunca foi banal,
vieste e falaste se medo nem sinal de embaraço.

Vieste no silêncio dos dias que passavam quietos
e agiste na quietude dos meus dias cinzentos,
vieste e apanhaste-me desprevenida e sem defesa,
vieste e surpreendeste-me com a tua franqueza,
vieste e deixaste-me cheia de sentimentos incertos,
vieste e sem pedir licença invadiste-me os pensamentos.

sexta-feira, novembro 27, 2009

Informação sobre venda e distribuição

O meu livro em papel será vendido em 5 livrarias em Portugal:

- Clube literário do Porto (Porto)
- Navio dos Espelhos (Coimbra)
- Centésima Página (Braga)
- Arquivo (Leiria)
- Sá da Costa (Lisboa)

O livro em Papel será também vendido através do site da editora(chegando assim a todo o mundo):
www.corposeditora.com
www.Worldartfriends.com (na secção livraria).

-Presença em Stand próprio ou stand de outrem na próxima Feira do Livro do Porto e talvez na de Lisboa.

Será também teoricamente possível encomendar o livro em qualquer FNAC em Portugal, uma vez que a editora fornece estas lojas, bastando para isso efectuar a encomenda numa das lojas.

O livro poderá também ser adquirido em formato de E-book na loja online:
http://www.worldartfriends.com/store/

Claro que se quiserem um exemplar autografado podem pedir-me o livro directamente através do meu e-mail e o mesmo será enviado por correio.

sábado, novembro 21, 2009

Um dia inesquecível

O dia 10 de Outubro foi sem dúvida um dia inesquecível, por todas as razões e mais alguma mas sobretudo por ter sido o dia em que um dos meus maiores sonhos se tornou realidade: editei um livro! Para mim isso é absolutamente extraordinário porque é algo há muito sonhado mas que nunca pensei ser possível.
Foi pois na presença de familiares, colegas e amigos que ocorreu a sessão de lançamento. Foi uma grande alegria e uma enorme emoção olhar em volta e ver caras conhecidas, pessoas de quem eu gosto muito e que por motivos muito diversos são especiais para mim... e saber que estavam ali deu-me força, confiança e sobretudo fez-me sentir bem e especial. A todos os que estiveram presentes o meu mais sincero agradecimento não só por terem estado lá mas por fazerem parte da minha vida e sobretudo por acreditarem em mim: Obrigada! A todos os que não puderam estar presentes, obrigada pelas manifestações de carinho e de apoio.
A presença da minha familia, a minha mãe, a minha irmã, os meus sobrinhos e o meu cunhado, foi obviamente importante porque sem eles nada faz sentido e nada vale a pena, por isso obrigada por estarem comigo, por me apoiarem e nunca me terem abandonado...e a ti pai, que já partiste, espero que onde estiveres estejas orgulhoso de mim.


O meu sonho materializado








Imagem do livro, das flores e dos marcadores que fiz para oferta





A altura dos autógrafos e dedicatórias





O magnifico ramo de flores oferecido por um grupo de pessoas muito especiais

segunda-feira, outubro 05, 2009

Hoje venho partilhar convosco a realização de um sonho antigo: a edição de um livro de poesia da minha autoria.
No seguimento da minha participação no concurso Ministério da Poesia 2009 patrocinado pela Corpos Editora e pelo site Worldartfriends, foi-me dada a oportunidade de editar um pequeno livro de poesia.
Assim é com grande alegria que vos anuncio o nascimento do meu livro "Emoções à flor do verso" e é com igual alegria que vos deixo um convite:



"Helena Pinto e a Corpos Editora têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro de poesia "Emoções à flor do verso"

A sessão irá decorrer no dia 10 de Outubro, pelas 16:30, na Sala Polivalente da Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira em Leiria.

A obra será apresentada pela autora e serão declamados poemas do livro por uma convidada.

Apareçam se puderem..."

--------------------------------------------------------------------------------
Localização
Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira
Largo Cândido dos Reis, n.º 6
2400-112 LEIRIA

Tel. 244839666

sábado, agosto 29, 2009

Tu és música que dança...


Tu és salsa, bolero, forró
ou mesmo sambinha de uma nota só,
tu és valsa ou tango argentino,
tu és as notas do meu destino.

Tu és merengue, mambo, lambada
ou mesmo uma rumba bem ritmada,
tu és fandango, corridinho, malhão,
tu és música que dança no meu coração.

quinta-feira, julho 30, 2009

Gosto...Gosto...!

Gosto do teu sorriso sempre leve e sincero
qual pedaço de paraíso onde perder-me espero.

Gosto do teu olhar sempre puro e brilhante
qual pedra preciosa em forma de diamante.

Gosto do teu olhar sempre alegre e despreocupado
qual perfil grego em branco mármore cinzelado.

Gosto do teu jeito sempre disponivel e atento
qual fonte de água pura que nos dá novo alento.

Gosto da tua gargalhada sempre solta e intensa
qual onda do vasto mar poderosa e imensa.

Gosto do teu jeito sereno, sempre com convicção
qual brisa que refresca o forte calor do Verão.

Gosto de tudo em ti porque me fizeste florescer
qual chuva de Verão que faz a terra renascer!

domingo, julho 05, 2009

Pétalas desfolhadas...



Foste embora quando nada o fazia prever,
partiste sem um adeus que fosse,
nunca olhaste para trás para ver o que ficava
e atrás de ti ficou um mundo incrédulo,
uma imensidão de pessoas que não queriam
e não podiam acreditar que fosse verdade.
Deixaste para trás a vida que era tua por direito,
deixaste o mundo que te estava guardado,
deixaste um rasto de dor e de pranto.
Partiste... não podia acreditar que tivesses
ido embora de uma vez por todas...
não podia acreditar que nunca mais iria ver
o brilho do teu sorriso ou a juventude do teu olhar.
Não podia ser verdade! Recusei-me a aceitar...
mas tive de aceitar... tinhas mesmo ido embora
para nunca mais voltar. De ti ficou a doce lembrança
de uma pessoa muito especial. Durante muito tempo
a noite era fria e triste no gelo da perda, mas depois...
depois passei a olhar o céu todas as noites,
passei a ver em cada estrela o brilho do teu olhar
e em cada raio de luar a magia do teu sorriso
tão doce, tão terno e ainda tão juvenil.
Partiste na flor da idade e deixaste espalhadas no chão
as pétalas desfolhadas da vida que era tua.
Continuo a olhar o céu todas as noites, pois só assim
o tempo passa e tu continuas pertinho de mim...


A todos os amigos que infelizmente partiram na flor da idade... em especial a uma querida amiga que há muitos anos partiu num mês de Julho...

sábado, junho 06, 2009

História de um castelo em verso



És um vigilante imponente e majestoso
indiferente ao peso da já vetusta idade,
vigias com olhar protector e misterioso
cada rua, cada recanto da nossa cidade.

D. Afonso Henriques te mandou edificar
para a linde sul com estratégia defender,
em 1137 os almóadas te vieram atacar
e a Paio Guterres acabaram por vencer.

Na épica Batalha de Ourique foram vencidos
os mouros, que também te quiserem tomar,
e mais uma vez caiste na mão dos inimigos
até D. Afonso Henriques te reconquistar.

Em 1142 recebeste a tua Carta de Foral,
foste reconstruido e reforçado na estrutura,
o desenvolvimento da povoação era tal
que em 1254 houve cortes na sua planura.

Ao raiar da Restauração encheste-te de alegria
e ergueste o pendão de Portugal, orgulhoso,
mas as invasões francesas vieram um dia
e depois disso o abandono triste e vergonhoso.

Ernesto Korrodi é o nome do grande mentor
que com seus projectos te devolveu a alegria,
depois de renovado retomaste o teu esplendor
e voltaste a ser o grandioso Castelo de Leiria!

quinta-feira, maio 21, 2009

Novidades!

É com prazer que partilho com aqueles que me agraciam com a sua passagem por este blog a alegria de ter ganho um concurso.
Trata-se do III Prémio de Poesia em Rede alusivo ao tema "As crianças" e no dia 20 deste mês foi tornado publico o resultado da votação dos participantes do concurso (uma vez que são eles que escolhem através da sua votação o seu preferido)conforme passo a transcrever:


"Quarta-feira, 20 de Maio de 2009

É com o maior prazer que anunciamos que o Poema Vencedor do Terceiro Prémio de Poesia em Rede é:


Poema nº 50

Meninos da Rua
da autoria de Hisalena

Este foi o poema que os participantes-votantes deste Terceiro Prémio de Poesia em Rede elegeram como melhor poema, e com vantagem significativa em relação aos restantes, pelo que é único vencedor.

Parabéns à Autora do Poema!

Obrigado a todos os que votaram! "


Foi com alegria e surpresa que recebi a noticia porque todos os 81 poemas apresentados tinham muito valor e muita qualidade pelo que desde já dou os meus parabens a todos os participantes e faço votos de que continuem a mostrar o seu amor pela poesia.

E já que partilho com todos vós as boas notícias, partilho também o poema que me trouxe esta grande alegria.


Meninos da Rua

Meninos que têm o Mundo no olhar,
sonhos adormecidos sob a luz do luar,
lençóis feitos de chuva, de frio e de vento,
cobertores tecidos com mágoa e sofrimento.

Meninos que têm a cidade na sola do pé,
coração perdido que não sabe quem é,
conta corrente feita na palma da mão,
conta poupança para água e para pão.

Meninos adultos que não foram crianças,
desgostos que nunca foram esperanças,
desilusões de uma vida sem sentido,
meninos de rua neste Mundo perdido.

Meninos que têm nos olhos a mágoa,
tristeza em forma de leves gotas de água,
sonhos que adormecem à luz da lua,
rostos esquecidos dos meninos da rua.

Meninos sozinhos que são filhos do vento,
carinhos que nunca tiveram um momento,
meninos que fizeram da dor a sua mãe,
meninos que só têm a rua e mais ninguém.

Hisalena

segunda-feira, março 09, 2009

Hoje...

Hoje acordei com um brilho no olhar,
Um sorriso no rosto e vontade de cantar.

Hoje acordei com esperança renascida
E vontade de entoar uma canção à vida.

Hoje acordei com uma melhor disposição
E com uma estranha alegria no meu coração.

Hoje acordei e vesti uma roupa colorida
E senti-me mais feliz e desinibida.

Hoje acordei e até o sol pareceu mais brilhante
E eu senti-me uma estrela cintilante.

Hoje acordei envolta numa calma sem fim
E com grande tranquilidade dentro de mim.

Hoje acordei, fiz as pazes comigo e o mundo
E senti um alivio muito grande e profundo.

Hoje acordei, não me senti triste nem perdida
E em agradecimento fiz este simples hino à vida.

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Um conto de Natal

Hoje quero apenas partilhar convosco um pequeno conto de Natal com o qual participei no Desafio Literário "Conte-nos um Conto de Natal" promovido pela cadeia de lojas Deborla e que, ao que soube hoje, faz parte do lote dos 10 premiados.
Deixo aqui também os meus parabêns a todos aqueles que participaram e que independentemente de terem sido premiados ou não deram brilho, talento e muita imaginação a este desafio. Parabêns a todos!

Conto de Natal

- NÃOOOOO! – O grito desesperado ecoou em todo o Pólo Norte.
- Greve? Os duendes estão em greve? Mas hoje é dia 23 de Dezembro, como é que vou conseguir ter os presentes prontos a tempo no dia de Natal? – Perguntava o Pai Natal gesticulando freneticamente.
- Calma querido – recomendava a Mãe Natal – não te enerves que não há nada pior que um Pai Natal enervado. Vais ver que tudo se resolve. Vamos lá pensar…
- Oh, Pai Natal… Pai Natal… - chamou timidamente a Rena Rodolfo – tive uma ideia.
- Oh Rudolfo, não queres que te leve a passear agora, pois não? – Perguntou o Pai Natal.
- Não… lembrei-me que o ano passado quando entregámos os presentes em Portugal passámos por cima de umas lojas que diziam "Deborla" e que tinham muitas coisas divertidas e variadas… talvez pudéssemos lá ir buscar os presentes…ouvi dizer que eles até têm um cartão de crédito que dá descontos!
- A sério Rodolfo? Mas que boa ideia, ainda que venha de uma rena…mas se existem tantas lojas, a qual havemos de ir? – Perguntou o Pai Natal.
- Bom seguindo aqui a rota do costume… a de Leiria…fica mesmo a caminho, podemos aproveitar para jantar e começar logo a distribuição dos presentes.
- Vamos que se faz tarde! Renas… Vamoss!!!
Num instante chegaram à DeBorla em Leiria, o Pai Natal estacionou cuidadosamente as renas no amplo parque da loja e entrou com a Mãe Natal.
- Ahhh!!! – exclamaram maravilhados – Tantas coisas! Difícil vai ser escolher!
- Não há problema – disse o Pai Natal- li as cartas todas e fiz a lista de compras, por isso mãos à obra.
Em menos de nada já a trenó do Pai Natal estava cheio de presentes para todos os gostos, para todas as idades, de todos os tamanhos e feitios e estavam todos prontos a seguir viagem e a começar a grande aventura do Natal.
A manhã do dia 25 amanheceu iluminada pelos gritos e risos de alegria das crianças (e dos adultos, claro!) que estavam radiantes pelos maravilhosos presentes recebidos.
- Este foi o melhor Natal de sempre! – Ouvia-se em cada casa um pouco por todo o Mundo.

segunda-feira, janeiro 12, 2009

Aí está 2009...


Recados e Imagens - Feliz Ano Novo - Orkut

Recados, Gifs e Imagens no Glimboo.com



O Ano de 2009 chegou com alegria, com fogos de artifício que encheram o céu de cor, com música, com champanhe e com muitos desejos, muitos planos, muitas resoluções e muitas decisões.
Com o novo ano chegou também o frio...esta vaga de frio, polar ao que dizem, conseguiu pelo menos fazer com que por uns dias parássemos de falar da crise e dos tempos terriveis que ao que consta estão para vir, para falarmos do frio, da neve, dos risos das pessoas face a esta gélida, mas perigosa, maravilha que arrefeceu o país mas aqueceu muitas memórias e muitos rostos com um sorriso.

Apesar de tudo todos esperamos que 2009 seja se possível um bocadinho melhor, mas pelo menos que não seja pior do que 2008. Resta-nos enfrentar a batalha com coragem, com fé e com esperança, afinal baixar os braços e desistir sem luta é apressar o que talvez possa ser adiado. Há que manter acessa a chama da esperança, porque mal vai o mundo quando esta se extinguir.
Por isso o meu desejo para todos é que mantenham acessa a esperança, que não percam a fé nem a vontade e sobretudo que não desanimem nem baixem os braços frente às ameaças porque a vida é uma luta constante e quando desistimos de lutar e de acreditar simplesmente deixamos de viver.

Bom ano para todos!!!!!!!!!!!!