:Licença Creative Commons

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Um conto de Natal

Hoje quero apenas partilhar convosco um pequeno conto de Natal com o qual participei no Desafio Literário "Conte-nos um Conto de Natal" promovido pela cadeia de lojas Deborla e que, ao que soube hoje, faz parte do lote dos 10 premiados.
Deixo aqui também os meus parabêns a todos aqueles que participaram e que independentemente de terem sido premiados ou não deram brilho, talento e muita imaginação a este desafio. Parabêns a todos!

Conto de Natal

- NÃOOOOO! – O grito desesperado ecoou em todo o Pólo Norte.
- Greve? Os duendes estão em greve? Mas hoje é dia 23 de Dezembro, como é que vou conseguir ter os presentes prontos a tempo no dia de Natal? – Perguntava o Pai Natal gesticulando freneticamente.
- Calma querido – recomendava a Mãe Natal – não te enerves que não há nada pior que um Pai Natal enervado. Vais ver que tudo se resolve. Vamos lá pensar…
- Oh, Pai Natal… Pai Natal… - chamou timidamente a Rena Rodolfo – tive uma ideia.
- Oh Rudolfo, não queres que te leve a passear agora, pois não? – Perguntou o Pai Natal.
- Não… lembrei-me que o ano passado quando entregámos os presentes em Portugal passámos por cima de umas lojas que diziam "Deborla" e que tinham muitas coisas divertidas e variadas… talvez pudéssemos lá ir buscar os presentes…ouvi dizer que eles até têm um cartão de crédito que dá descontos!
- A sério Rodolfo? Mas que boa ideia, ainda que venha de uma rena…mas se existem tantas lojas, a qual havemos de ir? – Perguntou o Pai Natal.
- Bom seguindo aqui a rota do costume… a de Leiria…fica mesmo a caminho, podemos aproveitar para jantar e começar logo a distribuição dos presentes.
- Vamos que se faz tarde! Renas… Vamoss!!!
Num instante chegaram à DeBorla em Leiria, o Pai Natal estacionou cuidadosamente as renas no amplo parque da loja e entrou com a Mãe Natal.
- Ahhh!!! – exclamaram maravilhados – Tantas coisas! Difícil vai ser escolher!
- Não há problema – disse o Pai Natal- li as cartas todas e fiz a lista de compras, por isso mãos à obra.
Em menos de nada já a trenó do Pai Natal estava cheio de presentes para todos os gostos, para todas as idades, de todos os tamanhos e feitios e estavam todos prontos a seguir viagem e a começar a grande aventura do Natal.
A manhã do dia 25 amanheceu iluminada pelos gritos e risos de alegria das crianças (e dos adultos, claro!) que estavam radiantes pelos maravilhosos presentes recebidos.
- Este foi o melhor Natal de sempre! – Ouvia-se em cada casa um pouco por todo o Mundo.

Sem comentários:

Enviar um comentário