:Licença Creative Commons

domingo, novembro 21, 2010

Nas franjas de um xaile negro

Imagem retirada da Internet com recurso ao Google


Nas franjas de um xaile negro
tecem-se histórias de saudade,
escondem-se pedaços de história
que não têm tempo nem idade.

Na voz de um fadista sente-se
a imensidão que o mundo tem,
ouve-se a voz de um coração
que é fiel a si e a mais ninguém.

No acorde de uma guitarra
tantas histórias por nascer,
tantos sonhos que esperamos
ainda poder ver a acontecer.

Nas cordas da guitarra nasce
uma canção em forma de trinado,
na alma lusa há-de sempre haver
a triste alegria de um fado!

quarta-feira, novembro 10, 2010

Raios de Sol


Risos alegres animam o amanhecer,

Alegria e sorrisos para dar e vender,

Indo para a escola de carro ou a pé

Os nossos meninos armam sempre banzé,

Sozinhos ou em bando como pardais


Descem à rua como os outros demais

E num rasgo de inocência isenta de vaidade


Sobrepoe-se a tudo o valor de uma amizade,

Os meninos são flores sempre a crescer,

Luzes brilhantes de engenho e saber.