:Licença Creative Commons

domingo, janeiro 24, 2016

- As mulheres são complicadas! - reclamam os homens com frequência.
- Os homens são todos iguais! - reclamam as mulheres com igual frequência.
Afinal em que ficamos?
Será possível que ambas as partes estejam certas? Parece-me uma teoria viável.

Homens: as mulheres não são complicadas! São tão simples como café com leite... vocês é que nos complicam a vida com a mania de nos quererem transformar naquilo que vocês querem. Se parassem um bocadinho para nos ouvir seria mais fácil, percebiam que basta uma palavra, um gesto, um silêncio até, para nos agradar...ah... e se parassem com essa mania de fazer olhinhos a tudo o que mexe e de tecer comentários a todos os rabos de saia que passam talvez tivessem mais tempo para apreciar o tesouro que vos caiu nas mãos! Ah... e ninguém aguenta ser comparada com a A a B ou a C... muito menos com a santa mãezinha... afinal querem uma companheira ou uma nova mãe? E custava esforçarem-se um bocadinho para descobrir de que livros gostamos, que comida apreciamos, que hobbies nos interessam? E custava apreciarem os mimos que vão dão...sem passarem a vida a achar que ninguém vos liga e que ninguém quer saber de vocês?
Afinal no fundo vocês querem continuar com a vossa vida de bons rapazes: futebol, amigos e miúdas... querem ser meninos para sempre... pois meus queridos é tão simples como isto: nenhuma mulher quer um menino, ok?

Mulheres: os homens não são todos iguais! Ainda há uns quantos exemplares que não dão mau nome à espécie. Talvez se parassem de achar que são todos ou uns santos ou uns sacanas isso vos poupasse uns quantos dissabores. Se soubessem ouvir um pouco mais e falar e um pouco menos talvez eles vos dissessem o que querem saber sem terem de andar a vasculhar telefones e bolsos...
Se apreciassem os elogios e as palavras simpáticas, os carinhos e os mimos sem acharem que estão a esconder alguma coisa talvez não se queixassem que não passam tempo de qualidade juntos.
E se eles até fazem um esforço para ajudar o que é que custa? Que importa que as toalhas fiquem estendidas ao lado das peúgas ou que a carne fique sem sal? Fazer-lhes a papinha toda e depois reclamar que só querem outra mãe não faz sentido, certo?
E se olharem para outra na rua? Vão dizer que não olham para o bonitão que vai mesmo ali ao lado e sorriem interiormente... olhar não tira pedaço, ok? E no fim de contas com quem é que ele vai para casa no final do dia?
Afinal no fundo querem continuar com a vida de boas raparigas: moda, beleza, conversa de miúdas, liberdade... pois minhas queridas é tão simples como isto: nenhum homem quer uma menina, ok?

Resumindo e baralhando: se se pode ter o melhor dos dois mundos porquê complicar? No fim das contas o que conta é o que se sente, é a capacidade de ceder, de encontrar um ponto de equilíbrio, de aceitar sem querer mudar mas estar aberto a melhorias, de caminhar ao lado e não à frente, de falar quando é para falar mas saber quando basta sentar ao lado e ficar em silêncio, de estar aberto à vida, às oportunidades e a viver a vida com o melhor que ela tem para oferecer.

Sem comentários:

Enviar um comentário