:Licença Creative Commons

domingo, outubro 30, 2016

Dia de Finados e Dia de todos os Santos



A festa ou solenidade do dia de Todos-os-Santos é celebrada em honra de todos os santos e mártires, conhecidos ou não. Esta festa é celebrada pelos crentes de muitas das igrejas da religião cristã.

A Igreja Católica celebra a Festum Omnium Sanctorum (Festa de Todos-os-Santos) a 1 de novembro que é seguido pelo dia dos fiéis defuntos a 2 de novembro.

Assim...para quem se esqueceu a nossa tradição não tem a ver com bruxas, nem com máscaras, nem com abóboras... isso é mais uma tradição importada por nós, como tantas outras que adoptamos enquanto guardamos as nossas no fundo da gaveta.

A nossa tradição tem a ver com crianças que saem à rua, com saquinhas de pano a pedir Pão por Deus... ou a pedir o bolinho...tem a ver com o cheiro a erva doce e a broas quentinhas a sair do forno... tem a ver com a partilha entre os habitantes da comunidade... tem a ver com recordar aqueles que já não estão entre nós...

A nossa tradição é nossa...e aos poucos vamos deixando que caia no esquecimento. As crianças já não ligam a essas "foleirices" e os adultos já não têm tempo...para nada na verdade...nem para viver já têm tempo...

Eu cá... adoro estes cheiros, estas cores, estes usos e costumes...levam-me de volta a lugares e a tempos felizes, tempos onde havia tempo para tudo e sobretudo para todos...

Bom feriado a todos!


sábado, outubro 29, 2016

Revoltante

Existem noticias que nos chocam, outras que nos espantam, outras que nos revoltam e depois há outras que nos viram as entranhas do avesso de tanto que nos enojam...

Cruzei-me hoje com uma dessas noticias: uma menina de 8 anos que foi obrigada a casar com um homem de 40 e que morreu na suposta "noite de núpcias" em consequência de lesões internas graves...

Mas que raio de mundo é este em que vivemos? Que raio de espécie somos nós que nos dias de hoje permite tais coisas? Que raio de espécie é esta que por um lado evoluiu desmesuradamente a nível tecnológico e por outro continua a permitir a existência de práticas tão ou mais aberrantes que esta? Que raio de pensar tem esta gente que vende as filhas, que as sujeita a esta degradação... que basicamente as envia para a morte? 

O que é que isto tem a ver com pobreza? O que é que isto tem a ver com religião? O que é que isto tem a ver com o que quer que seja? 

Como é que é possível? Pode a pobreza servir de justificação? Pode a miséria e a sobrevivência justificar a violação e morte de crianças a troco de meia dúzia de euros? Pode a tradição servir de justificação a actos bárbaros, degradantes e homicidas? Pode a ignorância servir de desculpa a estes actos miseráveis?  

Pergunto-me que mundo é este... pergunto-me para onde caminhamos... pergunto-me como podem os ditos países civilizados preocupar-se com as riquezas naturais a ponto de despoletar guerras e massacres sem sentido e depois fechar os olhos à aniquilação da riqueza humana só porque acontece em países pobres e subdesenvolvidos... 


sexta-feira, outubro 28, 2016

Virtualidades

Resultado de imagem para conversa virtual

Todos os dias, à mesma hora, no mesmo local, tinham encontro marcado.
Trocavam desabafos, ternuras, sonhos e projectos... na vida real nunca se viram,
nunca se tocaram... nunca se ouviram... e no entanto era como se se conhecem desde miúdos...

quarta-feira, outubro 19, 2016

Enterro peculiar

Resultado de imagem para gaveta de memórias


Foi um enterro peculiar e muito pouco convencional,
não houve defunto, nem missa, nem velas, nem flores,
não houve choro, nem pranto nem nada do que é normal,
não houve lágrimas, nem perdas, nem mágoa, nem dores...
Não houve ninguém para ver nem tão pouco acompanhar,
não houve avisos, nem noticias com fotos no jornal,
bastou um suspiro longo e profundo para a enterrar
numa gaveta de memórias debaixo de um ponto final...

terça-feira, outubro 18, 2016

Desafio de escrita – Poemas e Contos com o tema “Humanidade”



Mais uma bela iniciativa...uma oportunidade de criar, de evoluir, de dar a conhecer as nossas palavras.
Estas iniciativas são meritórias porque não só visam estimular a escrita desafiando cada um de nós a apresentar as suas criações como permitem a divulgação e a apreciação das mesmas.
Para mim, mais do que os resultados, o importante é participar, colaborar, ajudar a dinamizar e divulgar estas oportunidades de convívio, de partilha e de criatividade.
Por mim, obrigada por estas oportunidades e claro parabéns a todos os que aderiram e sobretudo à vencedora.

segunda-feira, outubro 10, 2016

Desafio Mini Conto






Olho à minha volta. Nos últimos tempos muita coisa mudou na minha vida, O tempo passa a correr e nós acabamos por correr também…mas agora é momento de parar…respiro e sem pensar faço delete naquele ficheiro de fotografias cheio de memórias. Desligo o tablet…arrumo-o na mochila… respiro fundo e sorrio… levanto-me e sigo em frente…agora só falta fazer delete ao coração para tudo ficar bem…

quarta-feira, outubro 05, 2016

Símbolos da Republica


E no dia em que se comemora a Implantação da Republica, nunca é demais lembrar os seus símbolos máximos e perceber o significado que encerram.

Símbolos nacionais

A Constituição da República determina, no seu artigo 11º, nºs. 1 e 2:

1 – A Bandeira Nacional, símbolo da soberania da República, da independência, da unidade e integridade de Portugal é a adoptada pela República instaurada pela Revolução de 5 de Outubro de 1910.

Resultado de imagem para bandeira portuguesa png
Significado dos símbolos e cores:

As 5 quinas simbolizam os 5 reis mouros que D. Afonso Henriques venceu na batalha de Ourique.
Os pontos dentro das quinas representam as 5 chagas de Cristo. Diz-se que na batalha de Ourique, Jesus Cristo crucificado apareceu a D. Afonso Henriques, e disse: "Com este sinal, vencerás!''. Contando as chagas e duplicando por dois as chagas da quina do meio, perfaz-se a soma de 30, representando os 30 dinheiros que Judas recebeu por ter traído Cristo.
Os 7 castelos simbolizam as localidades fortificadas que D. Afonso Henriques conquistou aos Mouros.
A esfera armilar simboliza o mundo que os navegadores portugueses descobriram nos séculos XV e XVI e os povos com quem trocaram ideias e comércio.
O verde simboliza a esperança.
O vermelho simboliza a coragem e o sangue dos Portugueses mortos em combate.
Autores da Bandeira Republicana: Columbano, João Chagas, Abel Botelho



2 – O Hino Nacional é A Portuguesa.

terça-feira, outubro 04, 2016

Excertos

(Excerto, quem sabe, de um  capitulo de uma nova aventura :) )


Não sabia o que fazer com o estranho vazio que lhe ficara no coração depois de a ter enterrado bem lá no fundo do baú das memórias e de lhe ter posto em cima uma lápide de pesadas recordações agridoces, mas sabia que não podia voltar atrás.

Nessa noite acomodou-se confortavelmente no velho sofá de napa, que ela tanto odiava, e bebeu...não para esquecer mas para tentar afogar até à morte as lembranças e encher com o doce néctar, que ela abominava, o vazio que lhe ficara nas entranhas...