:Licença Creative Commons

terça-feira, maio 30, 2017

Silêncios...

Há um ditado antigo que diz: quem cala consente.
Mas também existem outras teorias quanto ao silêncio perante algo:
Há quem tenha a teoria de que às vezes o silêncio é uma forma de evitar conversa com gente chata;
Há quem ache que é uma forma de evitar conflitos;
Há quem ache que é uma maneira de mostrar desinteresse face a algo;
Há quem ache que é apenas sinal de fraqueza e medo de interagir e entrar numa discussão;
Há quem ache que é apenas rude e de mau tom;
Há quem ache que é uma forma de passar despercebido;
E há quem ache que é uma forma educada de desviar o assunto e dizer que não querem nem saber...
Quem tem razão? Sei lá! Só sei que há silêncios que dizem mais que mil palavras...sobretudo aquelas que por medo ou simplesmente por cortesia não se dizem.
Mas se querem saber, e por mais que ache que o silêncio por vezes é de ouro, acho que há perguntas que não devem ficar sem resposta... porque atrás de silêncio...silêncio vem...e depois é o vazio...o oco...o nada...

domingo, maio 28, 2017

quinta-feira, maio 04, 2017

A cultura da "invejazinha"

Há por aí um hábito...um costume...uma moda, se preferirem, a que gosto de chamar a cultura da invejazinha...e o que é isso, perguntam vocês?
É simples...muito simples...existem pessoas que têm uma vida tão vazia de sentimentos, de emoções de eventos que gostam de descarregar a sua frustração em cima dos outros...sobretudo daqueles que têm vida própria...daqueles que vivem e não se limitam a ficar a vida passar enquanto se lamentam da falta de sorte, da falta de tempo...da falta de vontade...

É aquela cultura do "se eu estou mal porque é que os outros hão-de estar bem?", "se eu estou miserável porque é que os outros hão-de estar bem?", "Se eu não posso porque é que os outros hão-de poder?"...é uma opção de muitos...de tantos que alguns nem dão conta.

Parece que as pessoas que acham que têm vidas cheias porque nunca têm tempo para nada no fim de contas são as que levam as existências mais infelizes, são as que gostam de pisar nos outros, de fazer valer a sua posição de força...são as que gostam de minimizar o que os outros alcançam e diminuir o que os outros fazem...são aquelas para quem nunca nada está bem e nunca ninguém é bom o suficiente...são aquelas que não vivem e se limitam a passar pela vida...

quarta-feira, maio 03, 2017

Made in Portugal... ou talvez não...



Made in Portugal? Claro que sim...optamos sempre por produtos nacionais, com códigos de barras de empresas nacionais.

Esta explicação é ouvida vezes sem conta e devo admitir que eu própria prefiro comprar produtos de origem nacional...não é por isto ou por aquilo mas pelo simples facto de que a maioria tem qualidade e é uma forma de, supostamente, ajudar a estimular a economia e a produção nacional.

E foram esses pressupostos que deram origem a este desabafo...

Comprei num supermercado um saquinho de "Mistura de Frutos Secos", código de barras nacional de uma empresa nacional na zona do Alentejo... até aí tudo bem...mas depois fui olhar para a composição e verifiquei o seguinte:

Ingredientes / Origens

Sementes de Girassol - Bulgária
Sultana Orange (sultana e óleo de girassol)- Turquia
Sultana Dourada (sultana, óleo de girassol e conservante) - África do Sul
Arandos desidratados (arandos, açúcar e óleo de girassol) - Estado Unidos da América
Miolo de Noz - Chile
Miolo de Pevide - China

Nem um único frutinho seco deste pacote é de origem nacional!
Nem uma misera pevidezinha!
Nem uma misera semente de girassol!
Como é que é possível? Não crescem abóboras com semente em Portugal? O girassol em Portugal não tem sementes? Não temos vinhas que dêem sultanas? Não existem nogueiras por cá?

Feitas as contas estamos a comer frutos secos importados, do outro lado do mundo,  que são depois tratados e embalados em Portugal...não existem no nosso país produtores destes frutos? Os custos de importação são assim tão ínfimos que justifiquem o "abandono" dos produtores nacionais? Será este o resultado das politicas agrícolas que têm vindo a ser implementadas?
Tempos estranhos estes...