terça-feira, novembro 20, 2018

Inspirações + Motivações = Novidades!

Não é desconhecido o meu gosto pela escrita...aliás talvez até seja para alguns...
Deste percurso fazem parte muitos caminhos, muitos capítulos, muitas aventuras e muitas folhas de papel guardadas em caixinhas...

Há uns tempos atrás abri a gaveta e deixei sair algumas coisas...o resultado foi este:

https://www.bubok.pt/livros/7920/Ser-de-sombra-e-Luz



Ao longo do tempo as coisas foram fluindo, sem nunca aspirar a nada de mais elevado ou mediático. Fui tentando outras variantes e experimentado outras divagações.
Fui caminhando... e agora, apenas para pouco mais do que satisfazer a minha própria vontade, outras palavras se soltaram...

https://www.bubok.pt/livros/11689/Historias-de-Desamor-no-Masculino

domingo, novembro 18, 2018

És tu o teu maior adversário





Vivemos à sombra de comparações, à espera de encontrar nelas uma desculpa para os nossos próprios medos: até fazia mas fulano é tão bom naquilo; até ia mas sicrano faz muito mais rápido...
Vivemos à sombra de desculpas, de motivos reais e imaginários para não dar aquele passo em frente, para não correr aquele risco, para evitar aquela situação ou aquele confronto.
Vivemos escondidos atrás das nossas próprias desculpas para evitar combater as nossas limitações e enfrentar os nossos medos.
Vivemos no medo da boca alheia, dos comentários que tecem na nossa ausência, das criticas que fazem nas nossas costas, das "bocas" que atiram para o ar à espera que as agarremos.
Vivemos dos olhares de lado para quem faz mas passamos a vida a lamentar o que não fazemos.
Vivemos com medo das opiniões, dos comentários, do gozo, da risota, da conversa...do fazer pouco de quem nada faz a não ser criticar quem ousa fazer.
As pessoas vivem a lamentar-se do que não fazem, do tempo que não têm, do quanto gostavam de fazer isto ou aquilo...mas depois passam a vida a criticar e a julgar quem faz.
As pessoas que fazem não querem saber de nada disso... não querem superar ninguém, nem bater ninguém, nem ser melhores que ninguém... querem apenas crescer, evoluir, superar-se a si mesmas e sobretudo vencer o seu maior adversário: elas próprias!
Somos o nosso maior adversário...verdade... somos sós que nos limitamos, que nos impomos limites, que nos acomodamos às limitações, que deixamos os medos e os receios tomarem conta de nós. 
Somos nós que nos escondemos atrás de desculpas e mais desculpas para justificar a nossa inércia.
Somos nós que criamos barreiras e erguemos muros.
Vence-te a ti mesmo! Faz as coisas por ti, vence por ti, supera por ti e sobretudo orgulha-te do que conquistas, seja pouco ou grande. Orgulha-te dos passos que dás, do caminho que percorres, das vitórias que alcanças! Lembra-te que se tu não fizeres por ti ninguém vai fazer! Manda para o espaço as energias negativas e mesquinhas que te tentam aprisionar, faz ouvidos de mercador aos comentários invejosos, rodeia-te de pessoas que ficam felizes por ti, que te fazem ser melhor e que te motivam, rodeia-te de pessoas que te inspiram a ser melhor, pessoas que genuinamente se orgulham do teu caminho por mais sinuoso que seja!
Faz por ti e para ti, evolui por ti e para ti, cresce por ti e para ti... cresce, evolui, melhora ao teu ritmo, faz o teu caminho sem pressa, segue o teu rumo...torna-te no teu maior aliado e não no teu pior adversário! 

terça-feira, novembro 13, 2018

Os sonhos são como algodão doce

Os sonhos são como nuvens de algodão doce
que flutuam leves, soltas, vibrantes e coloridas
pelo ceú nem sempre azul das nossas vidas
embora desejássemos tanto que assim fosse.
São como nuvens feitas de açúcar em fio
que adoçam a esperança de um amanã melhor,
são asas que nos fazem descobrir um novo amor,
são setas que apontam para um novo desafio.
São nuvens de leveza, de encanto e de magia
que nos enchem a alma e aquecem o coração,
fazem com que a vida não seja passada em vão
e a cada nova conquista ganham nova energia.
Os sonhos são como nuvens de algodão doce
que adoçam cada passo da nossa experiência,
são alvos que se alcançam com muita persistência,
são oásis de esperança na nossa existência agridoce!



quarta-feira, outubro 10, 2018

Cresce e descobre-te...

O crescimento é um processo contínuo, uma longa estrada feita de muitas e variadas etapas, uma parte essencial da vida e da nossa existência.
Crescer é bom, sobretudo quando se cresce apartir do interior, quando se cresce em sabedoria, em conhecimento e sobretudo quando se cresce a nível interior.
À medida que vamos crescendo vamos também descobrindo-nos a nós mesmos, vamos descobrindo novas nuances da nossa personalidade, vamos descobrindo novas forças, novos horizontes, novas formas de ser e de fazer.
Mal de quem deixa de crescer, de quem se acomoda, de quem se acostuma ao instituido e aos costumes, mal de quem deixa de sentir curiosidade, de querer aprender, de querer saber mais, de querer ir mais além, mal de quem deixa de querer ultrapassar os seus próprios limites.
Mal de quem deixa de sonhar, de ter metas, de sonhar novos sonhos, de querer novas experiências, de querer conhecer novos lugares e novas pessoas.
Mal de quem se acostuma consigo mesmo... de quem parou no tempo e ainda vive no antigamente...de quem tem medo de avançar, de evoluir, de se construir...
Crescemos interiormente através das experiências que temos, dos lugares que visitamos, das pessoas que conhecemos... através dos inesperados encontros e desencontros que a vida nos tráz. Crescemos quando aceitamos a nossa própria descoberta, quando não nos chega deixar como está, quando não nos basta fazer como sempre se fez, quando não nos basta ir onde sempre se foi.
Crescemos quando ganhamos asas na alma e seguimos mapas no coração!
Crescemos quando a nossa coragem é maior que os nossos medos!
Crescemos quando descobrimos que somos capazes de muito mais!


terça-feira, outubro 09, 2018

Revelações

Existe um sem número de revelações, de diversos géneros, de diversas intensidades e sobretudo de diversas origens.
Algumas revelações deixam-nos contentes, outras nem por isso, algumas surpreendem, outras dão-nos gana de bater em alguém, algumas são inesperadas e outras são há muito anunciadas.
Revelam-se coisas, situações, lugares, pensamentos... mas sobretudo revelam-se pessoas. 
Revelam-se pessoas... e isto é quase sempre (salvo honrosas excepções) mau sinal, porque normalmente as pessoas revelam o seu pior lado, o lado mais mesquinho, mais egoísta, mais aproveitador, mais manipulador e sobretudo mais mentiroso. Disse alguém um dia que não se consegue enganar toda a gente o tempo todo... e é verdade.
Mas muitas vezes, quando pensamos sobre o assunto, vemos que na verdade as revelações são pouco mais do que o assumir de coisas que sempre soubemos mas que por conveniência (real ou imaginada) fingimos não saber.
Na verdade quem não é genuíno acaba sempre por mostrar o seu verdadeiro eu, acaba sempre por se revelar, acaba sempre por deixar cair a máscara e acaba invariavelmente por ficar feliz consigo mesmo por ter conseguido manter a farsa tanto tempo.
Revelam-se falsidades, mentiras, enganos... e finalmente um dia percebemos quem realmente está ali, quem se escondeu atrás de esquemas, quem nos ludibriou com falinhas mansas, quem nos enganou com artimanhas, quem nos levou a crer que a felicidade estava ali... quem nos fez esquecer daquilo que somos na verdade.
Ultimamente têm chovido revelações...algumas surpreendentes...outras admitamos que nem tanto... mas todas elas tiveram o seu impacto, as suas consequências, todas deixaram a sua marca. No fim de tudo fica-me a martelar na cabeça uma pergunta: como é que se consegue viver assim...numa mentira consentida...como é que se consegue dormir de noite e andar de cabeça erguida na rua... como é que se consegue manter tanta farsa e tanta ilusão...? Não sei... e confesso que prefiro não saber.
Admito que prefiro outras revelações... aquelas raras que vêm com carga positiva, que enchem a nossa vida de luz e de esperança, que nos enchem a alma e aquecem o coração. Essas sim... essas valem a pena e fazem sentido...

domingo, setembro 16, 2018

Há pessoas que nos irritam...

Existem diversos tipos de pessoa que nos irritam ou que pelo menos, vá, nos mexem com os sentidos. Há pessoas que têm a capacidade de libertar o menos bom de nós, pessoas que nos chateiam e que nos fazem ter vontade de lhes dar uns safanões para ver se acordam.
Pessoalmente irritam-me aquelas pessoas que vivem a cantar o fado do desgraçadinho: ninguém tem mais problemas que elas, mais doenças que elas nem mais azares do que elas. Aquelas pessoas que vivem a reclamar de tudo e que invejam tudo o que outros têm, aquelas pessoas que criticam o que os outros fazem mas não mexem uma palha... aquelas pessoas a quem tudo já aconteceu, a quem não podes dizer nada porque "comigo foi bem pior", aquelas pessoas a quem dizes que te dói um dedo e elas te respondem que tens sorte porque a elas lhe dói a mão toda! Aquelas pessoas que vivem a criticar o que outros fazem porque elas nunca têm tempo para essas coisas. Enfim aquelas pessoas que foram pelos vistos abençoadas com todos os males da humanidade e a quem nada corre bem.
Depois irritam-me os irresponsáveis, os que não sabem o que fazem, os que arriscam a vida e sobretudo os que põem em causa a segurança dos outros, assim como aquele idiota de carro escuro e vidros fumados que passa quase todos os dias no meio da povoação a acelerar feito doido e a deixar uma nuvem de fumo atrás sem se preocupar sequer com a possibilidade de atropelar alguém...sim esse idiota que infelizmente a polícia não vê...
Depois irritam-me os maiorais, aqueles que são sempre melhores que os outros, aqueles que estão sempre certos, aqueles que nunca erram, aqueles que nunca têm dúvidas, aqueles que espalham medo por onde passam porque todos temem as suas reacções voláteis quando contrariados, aqueles que quando olham em redor percebem que são os únicos que estão bem (só que não).
E também me irritam os sabe-tudo, os chico-espertos que sabem sempre tudo, que não fazem nada de jeito mas que estão sempre a corrigir os outros, aqueles que não perdem uma oportunidade de emitir opinião, de corrigir, de emendar... aqueles que não gostam de ser corrigidos e que nunca admitem uma crítica sem uma desculpa do género "Ah eu sei, mas fiz assim de propósito". Aquelas pessoas que são sempre as melhores (só que não) e que se pavoneiam como galos de capoeira quando ainda lhes faltam muitas penas...
Ah... os generais... também me irritam... não esses a sério mas aqueles que chegam a despejar ordens e regras e a ditar procedimentos sem pedir opinião a ninguém, aqueles que acham que podem mandar e desmandar, dizer o que querem sem que nada aconteça.
Concluo que me irrita uma boa parte da população mundial... ora bolas! Bom já que temos de conviver com todos os géneros de pessoas, vou focar-me em tentar aprender a fazer de conta que não me irritam...ah, notem que disse tentar... por isso vamos lá ver!

segunda-feira, setembro 03, 2018

Viva... Ouse... Tente!

Ouse procurar novas amizades, viver novos amores, construir novas relações...
Ouse frequentar outros locais, ir a outros cafés, beber outras bebidas, experimentar outros pratos...
Escolha ir a outro local, comprar outras coisas, usar outros perfumes, experimentar outras actividades...
Escolha conhecer novos locais, visitar novos sítios, descobrir novas histórias, criar novas memórias...
Mude de relógio, de penteado, de mala, veja outros filmes, ouça outras músicas...
Mude de ritmo, mude de rumo, mude de vida...
Não se esqueça nunca que só temos uma vida, que não há botão mágico para carregar e ganhar vidas como nos jogos que computador... 
Não se esqueça de criar... crie momentos, crie ocasiões, crie memórias, crie eternidades, crie mundos, crie pontes e crie esperanças... crie vontades e crie desejos...
Não se preocupe que o achem louco... afinal o mundo é um manicómio e viver não é uma competição para ver quem é mais louco... que se dane o que os outros acham! Se o faz feliz não desista... nunca desista de nada que o faça sorrir, que o faça vibrar, que o faça crescer... que o faça sentir um pulso a bater dentro de um peito por vezes dorido e magoado...
Não se preocupe em errar... quem não erra não aprende! Quem não erra não vive! Quem não erra não existe porque não errar é ser perfeito e a perfeição é a desculpa dos cobardes para não tentarem e correrem o risco de errar!
Tente tudo... experimente tudo o que conseguir, não perca a ocasião porque ela não vai voltar...
Aprenda...aprenda sempre, aprenda tudo o que lhe quiserem ensinar e não se envergonhe de dizer não sei... ninguém sabe tudo e quem acha que sabe vive na vã ilusão de que é mais e melhor que o comum dos mortais!
Mude... não tenho medo da mudança...seja ela boa ou má é uma oportunidade de aprender e de evoluir.
Olhe o mundo de todos os ângulos... não fique preso à vista da sua própria janela, não se prive de espreitar por outras janelas e de descobrir novos horizontes.
Não se acomode ao conhecido... o comodismo é a desculpa dos fracos para não tentarem nada de novo!
Não se limite a ficar sentado no passeio a ver a vida passar... levante-se e viva! Ouse! Tente!
Seja!
E nunca se esqueça que ser é bem melhor que parecer, que tentar é bem melhor que desistir, que ousar é bem melhor que recuar e que viver é sempre melhor que apenas existir...!

quinta-feira, agosto 30, 2018

Choque frontal...





A vida vai passando... o tempo vai correndo... e tu que não és tão burro como os outros pensam vais fazendo de conta que não percebes o que vai acontecendo, para evitar problemas, conflitos e confusões.
Vais caminhando na corda bamba, vais tentando estar, como diz o ditado, de bem com Deus e com o Diabo que um é bom mas o outro segundo consta também não é mau.
Vais fingindo que não percebes os comentários, os olhares de soslaio, as piadolas inoportunas, os silêncios súbitos quando chegas.
Vais fazendo de conta que fazes parte daquele mundo em que vives diariamente... vais fazendo de conta que te encaixas... que te sentes um entre os demais... vais fingindo que te sentes integrado.
Vais fazendo de conta que não percebes as trocas de olhares, que não sabes dos comentários na tua ausência, que não vês o que se passa nem tens noção do quão fora estás dos mundinhos que giram em torno de cada um.
Vais fazendo de conta que as palavras não doem e que as insinuações não magoam... vais fazendo de conta que não te amarga a boca nem te vira o estômago quando tecem certo tipo de comentários.
Vais fazendo de conta que está tudo bem... como se valesse a pena partilhar o que te amofina, como se alguém percebesse que tu também tens o direito de ter problemas...
Vais fingindo... vais fazendo de conta e um dia, assim do nada sofres um choque frontal com a mais desnuda realidade: por mais que faças, por mais que tentes, por mais que te esforces, por mais que dês o melhor de ti há-de haver sempre alguém pronto para te atirar à cara que ainda assim não basta!
Um dia chocas de frente com o facto de que nunca será o suficiente para aqueles que se acham no topo do mundo, nunca serás o bastante, nunca farás o bastante, nunca dirás o bastante.
Um dia percebes que por mais que faças nunca serás bom o suficiente, esperto o suficiente, nunca bastarás...
Há-de haver sempre quem não te queira conhecer por não seres giro o bastante, há-de haver sempre quem ache que podias fazer mais, ser mais, querer mais... há-de haver sempre um espaço em branco que tu nunca vais conseguir preencher... há-de haver sempre quem te ache de menos talvez por seres demais...
Há-de haver sempre quem não perceba que às vezes uma pancadinha nas costas faz bem... que uma palavrinha de incentivo cai bem... que um reconhecimento fora de época é bom...que um obrigado cai sempre bem.
Há-de haver sempre quem não perceba que às vezes basta um sorriso, um olhar, um gesto... que às vezes basta sentir que os outros sabem que tu também és gente, que és feito da mesma massa, que sofres, que tens medos e angústias, que tens problemas, que tens sonhos rasgados e quereres impossíveis, que tens fantasmas e passados..
Há-de haver sempre quem não perceba que na falta de algo bom para dizer, é melhor ficar calado.
Há-de haver sempre quem te faça chocar de frente com a dura realidade do egoísmo, do egocentrismo e sobretudo da falta de humildade.
Há-de haver sempre quem do alto do seu nada te faça sentir muito pouco e felizmente há-de haver de quando em vez alguém que do alto do seu nada te faça sentir muito...

segunda-feira, agosto 13, 2018

A complicação do complicado...



O complicado é uma verdadeira complicação...confuso? Não, nem por isso... mas ainda assim passo a elaborar sobre o tema...
Complicado parece ser cada vez mais a palavra que está na ordem do dia, serve para definir quase tudo e parece ser adaptável a todas as circunstâncias, se não vejamos alguns exemplo práticos:

- Então vamos tomar um copo logo à noite?
- Epá... até ia mas à noite é complicado...não gosto de me deitar tarde em dias de semana.

- Então como vai a vida?
- Olha vai complicada... sabes como é...

- Conseguiste falar com aquele cliente para finalizar o negócio?
- Nada disso... falar com eles é complicado, nunca atendem, nunca estão...enfim.

- Isto é que está um tempo, hem?
- Verdade. Está complicado para quem está de férias...mas muito calor também é complicado por causa dos incêndios.

- Sabes como está a situação dos incêndios?
- Ui... está complicado! 

- E tu como estás? Como vão as coisas?
- Olha vai-se andando... mas está complicado.

- Então que tal vai no trabalho?
- Olha vai complicado como sempre.

- E os miúdos portaram-se bem na escola?
- Olha mais ou menos, nestas idades é complicado...

Na verdade tudo parece estar complicado mas ainda assim conseguimos perceber a utilização da palavra nestes contextos... contudo existem caso em que complicado se torna complicado de entender.
Uma coisa complicada que está na moda são as relações...mas isso não nos causa estranheza, é uma coisa normal as relações passarem por períodos complicados. O estranho é quando as pessoas assumem o seu estado civil como: complicado. Quê? Dantes as pessoas eram casadas, viúvas, divorciadas, solteiras ou viviam em união de facto...era esse o estado civil que constava na documentação. Hoje em dia é frequente as pessoas responderem complicado quando questionadas sobre o estado civil... isso é no mínimo estranho! 
Se a moda pega... ui... já estou a ver o Estado a ver qual a taxa de IRS para quem tem como estado civil: complicado!

Alguém me consegue explicar o que é complicado enquanto estado civil? Admito a minha ignorância quando digo que não faço nem ideia...talvez porque para mim não faça sentido...mas estamos sempre a aprender, por isso se alguém me conseguir elucidar, agradeço de antemão.


quinta-feira, julho 26, 2018

Dia dos Avós

O Dia dos Avós é comemorado no dia 26 de Julho em países como o Brasil e Portugal tendo sido esta data escolhida porque é também o dia em que se comemora o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria e por consequência avós de Jesus Cristo.
É cada vez mais comum que avós cuidem dos netos enquanto os pais trabalham e por vezes até se tornem segundos pais quando os progenitores emigram para outras paragens e deixam os filhos aos cuidados dos avós. 
O aumento da esperança de vida leva a uma maior vivência no papel de avós e a sua importância  é comprovada por estudos havendo pesquisas que afirmam que avós amorosos deram aos seres humanos vantagem evolutiva de sobrevivência sobre as demais espécies, verdade ou não, cabe a cada um julgar.
Os avós de hoje são diferentes dos avós de outros tempos, têm outra forma de estar, outra maneira de encarar a vida, outras exigências, outros recursos, mas na essência o mesmo amor e a mesma dedicação. Mas os netos de hoje também são diferentes, têm mais recursos, mais actividades, mais conhecimento, mais "despeito" pelas coisas de antigamente e por vezes um bocadinho menos de respeito pela figura dos avós.
Todos recordamos momentos especiais com os avós...os ditos...os costumes...a forma de estar e de ser, a forma como nos ajudaram a crescer e os valores que nos ensinaram a cultivar.
Alguns partiram cedo demais não dando aos netos a possibilidade de viver essa experiência, outros deixaram a sua marca indelével nas nossas vidas e outros vivem ainda a cada dia essa experiência.
Infelizmente não conheci nenhum dos meus avôs... confesso que é uma mágoa que me tem acompanhado, mas quanto à qual nada há a fazer... e ambas as avós partiram antes dos meus 15 anos...confesso que é uma tristeza que também me acompanha, gostava de me lembrar melhor delas, de ter tido a oportunidade de as conhecer melhor, de ter aprendido mais com elas, de ter usufruído mais da companhia e dos ensinamentos delas. Gostava de recordar mais coisas para além das canções, das rezas, da perfeição no laço do avental, dos mimos e até das palmadas... Gostava de ter tido mais tempo... mas quanto a isso nada a fazer. Sei que apesar de tudo, algures, eles me continuam a acompanhar e sei que tento não deixar apagar o pouco que ficou...
Neste dia a todos os avós um beijo de parabéns e a todos os netos que ainda o podem fazer um conselho: aproveitem enquanto podem porque um dia nada ficará para além de lembranças!


terça-feira, julho 10, 2018

Não te limites a ser uma cópia...


Resultado de imagem para copy
Não te limites a ser uma cópia! Atreve-te a ser tu mesmo!
Uma coisa que é fundamental aprender nesta vida é a sermos nós mesmos, expressarmos as nossas ideias, os nosso pensamentos e sentimentos custe o que custar… é isto que separa os que são dos que vivem na sombra de outros e se limitam a ser ecos.
Ser criativo, ser diferente, ser único é um dom de ouro...um dom que não se pode alcançar se nos limitarmos a ser ecos de outras pessoas, se silenciarmos a nossa voz e passarmos a ecoar a voz dos outros. Inspira-te pelo que te rodeia, aprende, absorve conhecimentos mas não te deixes abafar por isso, não te tornes uma cópia, uma versão revista e piorada de quem te rodeia. Não tenhas medo de ser discordante, de remar contra a maré, de ser divergente…tem medo de te tornares uma sombra, um fantasma que se alimenta da existência dos outros como se não tivesse vida própria e que sem se aperceber acaba por cair no ridículo.
Explora o teu potencial, testa-te, desafia-te, constrói as tuas próprias memórias, vive as tuas próprias histórias, torna-te uma versão melhorada de ti mesmo sem tentares ser igual a todos os outros, sem quereres para ti uma existência que não é tua, sem te curvares e sem moldares a tua vida em função dos outros. Cria a tua vida não te limites a fazer copy paste da vida dos outros!
A personalidade é algo muito valioso, é o que nos define enquanto indivíduos, é a nossa voz… e não podes viver uma vida plena e feliz a menos que a construas em cima das tuas vivências, das tuas experiências e das tuas necessidades e sobretudo à medida dos teus desejos e dos teus sonhos.
Não te contentes em ser uma cópia esbatida, não te contentes em viver na sombra, não te contentes em tentar ser o que não és, não te arrisques a cair no caricato, no ridículo, não te limites a querer ser como… ousa viver, ousa criar, ousa inovar, ousa ser tu mesmo!

segunda-feira, julho 09, 2018

Don't go down without a fight










(Imagem retirada da Internet)




Don't you ever go down without a fight,
don't you ever dare to just walk away,
don't you ever give up on finding the light
that will bring power and trust to your day...
Don't you ever doubt the power in you,
don't you ever settle for less than you deserve,
don't you ever hold back on what you do
just because others just sit and observe...
Don't you ever put yourself down,
don't you ever give up on your dreams,
don't you ever stop looking around
because life is often better than it seems...
Don't you ever give on being who you are,
don't you ever give up on fighting a fair fight,
don't you ever hide from the bruise or the scar
because in the end you'll be just alright...
Don't you ever go down without a fight,
don't you ever dare to just turn your back on it,
don't you ever give up on being a star in the  night
that shines way brighter than you are willing to admit!

                                                                           HP 09/07/18

quinta-feira, julho 05, 2018

Questionarmo-nos...

Por vezes questionamo-nos a nós mesmos... questionamos tudo e mais alguma coisinha... sobretudo quando a carga de negatividade se torna mais relevante e nos invade os pensamentos.
Há dias em que questionamos tudo... e em que nos questionamos sobretudo a nós mesmos: será que vale a pena? Será que este é o caminho? Será que devo ir por aqui? Será...Será... Será?
Por vezes questionamos a nossa capacidade de ultrapassar barreiras, de derrubar muros, de alcançar objectivos, de conquistar mudanças... por vezes questionamos tudo aquilo que nos rodeia, tudo aquilo a que nos propusemos, tudo aquilo que definimos como objectivo...
Por vezes questionamos a nossa capacidade de ter impacto na vida que nos rodeia, a nossa capacidade de estar e de ser...
Por vezes questionamos a nossa capacidade de crescer, de evoluir, de motivar e incentivar... por vezes questionamos se tudo não passa de uma perda de tempo para nós e para quem nos rodeia...
Por vezes questionamos se desistir não seria mais fácil...
Por vezes questionamos se vale a pena insistir... se vale a pena persistir... se vale a pena acreditar...
Por vezes questionamos se não seria melhor deitar tudo fora e deixar ficar as coisas quietas no seu canto...
Por vezes questionamos a nossa própria identidade, questionamos quem somos e o que queremos ser...questionamos os nossos objectivos e os nossos métodos...
Por vezes a tristeza dos dias cinzentos...faz-nos sentir frágeis, inseguros, faz-nos erguer muros, faz-nos ser o que não somos...
Por vezes questionamos a nossa capacidade de evoluir enquanto pessoa, enquanto ser humano...
Por vezes questionamos a nossa própria existência... questionamos se alguém daria pela nossa falta se por magia nos "evaporássemos" um dia...
Por vezes questionamos se as pessoas gostam de nós pelo que somos e como somos ou se apenas fingem para manter uma "sã" convivência...
Por vezes questionamos se os gestos, as palavras, os sorrisos... se os afectos são de verdade ou adereços que a vida nos obriga a usar...
Por vezes questionamos se estamos a querer demais, a sonhar demais, a desejar demais...
Por vezes não somos mais que um gigantesco ponto de interrogação que se arrasta pelos dias em busca de sinais, de respostas, de pistas...
Por vezes questionamos os quês e os porquês... e por vezes... apenas por vezes encontramos respostas...nem sempre as que queríamos ou desejávamos... mas ainda assim respostas que nos aliviam temporariamente...
Por vezes necessitamos recuar, fechar-nos na nossa gruta e tentar pôr as coisas em perspectiva... por vezes necessitamos ir ao fundo do poço da nossa existência para ter vontade de voltar a emergir do mar de dúvidas que nos assolam...
Por vezes percebemos que somos apenas humanos, que não temos de carregar o mundo nos ombros, que é impossível desiludir alguém mais do que desiludirmo-nos a nós mesmos, que não precisamos ser perfeitos apenas precisamos ser verdadeiros, que não precisamos que nos encontrem mas que precisamos desesperadamente encontrarmo-nos, que não temos de ser nada mais do que aquilo que nos faz felizes, que desistir e atirar a toalha ao chão é sempre o caminho mais fácil mas, como alguém disse um dia, se fosse fácil qualquer um fazia e nós somos tudo menos qualquer um!
Podemos questionar-nos à vontade... é legitimo que tenhamos dúvidas... é normal que tenhamos dias de "nevoeiro mental"... tudo está certo e é justo desde que no final de contas não nos esqueçamos de quem somos, de onde viemos, quem queremos ser e para onde queremos ir
Questionemo-nos... mas sejamos capazes de manter o foco, de manter o rumo e sobretudo de nos mantermos fiéis a nós mesmos!

segunda-feira, maio 21, 2018

Muros ou pontes?

Por vezes temos dificuldade em nos adaptar às pessoas que nos rodeiam, às pessoas com quem convivemos e por vezes temos dificuldade em deixar pessoas novas entrar pelas portas da nossa vida. 
Por vezes estipulamos regras que acreditamos serem essenciais para que possamos conviver com certas pessoas... e por vezes ficamos sem saber o que fazer quando damos por nós a ter vontade de quebrar as regras, quando percebemos que afinal as coisas não são bem assim, quando começamos a ver as pessoas com outros olhos e a perceber para além do que a vista alcança.
Por vezes entramos em conflito entre o que achamos que devemos fazer, porque nos formatámos assim, e o que na verdade temos vontade de fazer.
E quando chegamos a esse ponto, entramos em conflito com o nosso próprio eu.
E aí temos duas opções:
Construir pontes e tentar viver as coisas de outra forma, aceitar outras opções, ceder e arriscar em novas oportunidades, aceitar que a nossa pré concepção podia estar errada, permitirmo-nos olhar as pessoas com um outro olhar...criar laços e construir coisas novas;
ou então
Construir muros e mantermo-nos intransigentes às nossas pré concepções, mesmo admitindo que podemos estar errados, criar conflitos, magoar e afastar as pessoas sem ter a coragem de lhes dizer porquê, reduzirmo-nos ao silêncio e simplesmente ignorar como se nunca tivessem cruzado a nossa vida.
O que é certo e o que é errado?
Não sei... não sei sequer se alguém saberá...
Sei apenas que construir muros só nos leva cada vez mais para dentro de nós, para dentro da nossa espiral muitas vezes auto destrutiva, para o nosso vazio, só nos aprisiona cada vez mais aos nossos fantasmas... Sei apenas que construir pontes nos pode trazer agradáveis surpresas, nos leva a olhar o mundo de outra forma, nos leva a procurar além do que a vista alcança...
Sei apenas... que tudo seria mais fácil se se construíssem mais pontes e de derrubassem mais muros...

quarta-feira, maio 02, 2018

Caricato ou comum?

Há coisas que me pasmam...talvez não devessem pasmar, mas são, pelo menos na minha óptica, situações tão disparatadas que me pasmam.
Talvez eu esteja errada... talvez vocês não se pasmem.

Num dia, por acaso feriado, deslocas-te a um serviço público, por acaso um Centro de Saúde... para pasmo geral não existem utentes...diriges-te ao balcão de atendimento para fazer a inscrição... do lado de lá duas funcionárias, em cima do balcão um PC, um portátil e um telemóvel... ambas parecem muito interessadas nos ecrãs e tu pensas: estão a pôr trabalho em dia ou então estão a adiantar trabalho para amanhã. E esperas... até que percebes, porque uma das funcionárias assim o diz, que afinal estão a configurar contas de Facebook e a aguardar a instalação do Messenger! E tu pensas: A sério?????

E cinco minutos depois, talvez porque o Messenger demora a instalar, lá te pergunta se é para a consulta e apetece-te responder: Não, vim ao Centro de Saúde comprar cebolas! 
Mas não respondes e dizes apenas: Sim. 
Ao que te respondem: É só aguardar. 
Apetece-te perguntar se é para esperar pela consulta se pela instalação do Messenger, mas não perguntas porque a pessoa por certo nem ia perceber a ironia.

Se as ditas funcionárias tivessem mantido o silêncio e não se tivessem pronunciado até ficava com boa impressão, davam imagem de funcionárias dedicadas e esforçadas... assim, bom assim fica complicado! 

Mais complicado se torna quando começamos a pensar se isto é uma caricata situação isolada ou se é procedimento comum por esse país fora... assim como assim, nenhuma é boa mas prefiro acreditar na primeira!

domingo, abril 22, 2018

O que é uma pessoa bonita?

Hum... pergunta traiçoeira esta. 
Sei que de imediato a maioria dirá que uma pessoa bonita é uma pessoa visualmente atraente, uma pessoa que atrai os olhares e as atenções. 
Mas será tão simples assim? 
Será que todas as não Barbies e os não Ken deste mundo são todos feios?
Não acredito nisso. Acredito que a beleza das pessoas vai para além do que os olhos alcançam.
Há por aí tanta gente linda a virar cabeças na rua que na verdade é tão feia que chega a dar dó...
Diria, no meu conceito que uma pessoa bonita tem amor-próprio, tem confiança em si mesma, respeita os outros, tem curiosidade de aprender e de saber sempre mais. É uma pessoa com energia e entusiasmo, é alguém que te faz sorrir apenas com o brilho dos seus olhos ou que te contagia com a pureza do seu riso. É alguém que é capaz de ver para além do seu umbigo, que se preocupa com os outros, que tem a palavra certa e o ombro amigo. É alguém que te chama à realidade, que te repreende quando estás errado mas que te felicita genuinamente quando estás certo. É alguém capaz de torcer por ti e de se congratular com as tuas vitórias mas que também está lá para te amparar nas tuas derrotas.
Uma pessoa bonita não se serve dos seus atractivos para alcançar os seus fins...uma pessoa bonita não te cobra caprichos nem vontades... caminha contigo.
Uma pessoa bonita não é a pessoa mais linda que os teus olhos já viram... uma pessoa bonita é aquela que te põe um sorriso no rosto e que torna o teu dia mais leve com a sua simples presença.
Uma pessoa bonita não tem de ser aquela que prece saída da capa de um revista... uma pessoa bonita pode ser aquela que tem a coragem de se mostrar tal como é sem máscaras nem artifícios.
Uma pessoa bonita não é aquela que faz virar cabeças na rua quando passa... uma pessoa bonita é aquela que te faz sorrir pelo simples facto de te lembrares dela.
Uma pessoa bonita não é necessariamente a beleza mais estonteante que tu já viste na vida... uma pessoa bonita pode ser simplesmente aquela que te faz rir.
Uma pessoa bonita não é aquela que tu podes exibir de peito feito para causar inveja... uma pessoa bonita é aquela que te torna melhor, mais feliz e mais leve.
Uma pessoa bonita...talvez seja a pessoa mais feia que tu já conheceste!


Work in progress :)

(...) Por vezes dava por si  a pensar nela... de uma forma estranha sentia-lhe a falta.
Havia momentos em que lhe fazia falta aquele sorriso aberto, aquele jeito leve e feliz que ela aparentava carregar no peito.
Por vezes até sentia falta da forma directa, e muitas vezes bruta, como ela lhe dizia as coisas e o chamava à realidade.
Por vezes dava por si a pensar que lhe apetecia esquecer todas as convenções, todos os medos, baixar todas as guardas... e simplesmente abraça-la!
Jamais o assumiria e jamais em tempo algum, ainda que isso o consumisse por dentro, lho diria... (...)

quinta-feira, abril 19, 2018

Espírito de corpo

Por força das circunstâncias aprendi há já muitos anos um conceito que tento manter, embora seja a cada dia que passa mais difícil: Espírito de corpo.
Ora aqui está uma expressão infelizmente desconhecida da maioria das pessoas. Um conceito que bem aplicado tornaria tão mais fácil a coexistência das pessoas nas organizações.

Basicamente e de forma amplamente resumida, o espírito de corpo consiste na noção de que determinado grupo de trabalho ou organização deve funcionar como um corpo humano. E isto significa muito mais do que trabalhar em equipa, significa que todos são importantes nas suas funções, significa que à semelhança do corpo humano todos os membros são úteis e necessários por isso devem ser tratados como tal.

Um corpo é muito mais que a simples soma de muitos membros... assim as organizações não são apenas a soma das pessoas que as compõem mas sim pessoas que efectivamente fazem parte delas.
Todos devem sentir que o que fazem é importante...que a colaboração é fundamental... que ninguém consegue nada sozinho.

Espírito de corpo é a capacidade de em conjunto remar no mesmo sentido, tentar alcançar objectivos como um todo... espírito de corpo é o todo em função do todo, não é o todo em função de parte e menos ainda parte em função do todo.

Espírito de corpo é infelizmente um conceito cada vez mais difícil de alcançar, cada vez mais as pessoas se atropelam, passam por cima, não olham a meios para alcançar fins, preocupam-se com o individual e não querem saber do colectivo, cada vez mais é o espírito de cada um por si, de eu faço a minha parte e tu fazes a tua.

Seria tão mais fácil se as pessoas não se sentissem ofendidas quando são ajudadas... se olhassem para o todo e não apenas para as individualidades... se não encarassem a ajuda como uma forma de as fazer sentir diminuídas... se praticassem o blá-blá-blá que pregam...

Pena que as pessoas se esqueçam que se um membro adoece o corpo todo padece...

terça-feira, abril 17, 2018

Frustração....


Frustração… sentimentozinho estúpido que nos bloqueia, nos amarra e nos faz perder o foco. Infelizmente a vida é cheia de frustrações e diariamente passamos por situações que nos deixam frustrados… coisas tão simples como andar meia hora à procura de uma chave que afinal está no bolso do casaco que temos vestido ou como uma tarefa rotineira que de repente não conseguimos executar.

A frustração bloqueia-nos, impede-nos de progredir, de avançar… faz-nos questionar coisas que nem sequer fazem sentido… faz-nos sobretudo duvidar de nós mesmos e isso nunca pode ser bom sinal. Por vezes comprometemo-nos a alcançar determinado objectivo e quando algo nos impede de avançar ficamos insatisfeitos, ansiosos, irritados e sem dar-mos por isso de repente estamos a sentir que fracassámos, que nos desiludimos e sobretudo que desiludimos os outros pois falhámos em alcançar aquilo que esperavam de nós. Sentimos que somos um fracasso… que não conseguimos alcançar nada… que valemos pouco e que jamais chegaremos a lado algum… e é nesse momento que só pensamos em desistir! Desistir de tudo e de todos… assim não desapontamos ninguém, não atrapalhamos ninguém e talvez não nos sintamos tão incapazes e tão estúpidos!

Muitas vezes sentimo-nos frustrados com nós próprios, sentimos que não conseguimos corresponder às expectativas, que não conseguimos alcançar os objectivos, que somos pouco mais que inúteis… sentimos que falhámos para com os outros, embora, ironicamente, na maior parte dos casos os outros não estejam nem aí para o tema porque na verdade fomos que nós que criámos as expectativas e não eles.

Basicamente a frustração é uma forma, por vezes dolorosa, de nos fazer pensar, de nos fazer analisar e sobretudo de nos motivar a provar, nem que seja a nós mesmos, que estamos errados!

segunda-feira, março 19, 2018

Dia do Pai


Os pais são como os botões: há de todos os tamanhos e feitios!

Há aqueles que o foram… e esses são aqueles que biologicamente o foram mas na verdade nem sabem o que a palavra significa, são aqueles que nunca quiseram saber, os que nunca o assumiram e os que nunca o deviam ter sido.

Há os que sempre o serão… e esses são aqueles que o foram e que por imponderáveis da vida já o não são na prática, porque fisicamente eles ou os filhos, já não estão entre nós, mas que permanecem nas memórias, nos corações e na vida dos que ainda por aqui andam.

Há os que são… e esses são os que aproveitam e usufruem do estatuto, são os que brincam mas também são os que ralham, são os que dão colo mas também são os que repreendem, são os que ensinam mas que também aprendem…são os que hoje são e que um dia serão os que sempre serão.

Há os que são sem nunca ter sido… e esses são aqueles que não o sendo biologicamente são mais dignos do título do que muitos que o são na verdade, são os que desejaram, os que lutaram, os que acolheram e os que amam sem distinção, são os que educam, os que dão colo, os que estão presentes, os que contam na verdade.

Há os que serão… e esses são os que um dia, alguns em breve, o serão…os que esperam e anseiam pelo momento em que passam de filho a pai.

Há os pais de primeira viagem para quem tudo é novidade, stress, noites mal dormidas, angústias e ansiedades... mas também brincadeiras, gracinhas e toneladas de fotografias e de vídeos.

Há os pais experientes para quem, apesar de tudo, tudo é novidade, stress, angústias, noites mal dormidas (não muda muito com o passar do tempo :) )... mas também cumplicidades, aventuras, conversas e momentos.

Há muitos pais... há muitos dias... mas este é especial...por isso um dia feliz a todos os pais que são dignos desse nome!


segunda-feira, março 05, 2018

Um problema para cada solução

Um problema para cada solução... sim é mesmo isso que quero dizer, não é nenhum erro de escrita. Sim... eu sei que pode parecer esquisito, mas vão ver que faz sentido... e se calhar por vezes todos temos um bocadinho esse síndrome.

Por norma as pessoas buscam soluções... é... faz sentido, querem resolver os seus problemas, enfrentar as suas questões, vencer os seus medos, enfrentar os seus fantasmas, por isso procuram respostas e soluções que arrumem a questão permitindo assim avançar e seguir em frente.
Pois... mas depois há as outras pessoas, aquelas que arranjam um problema para cada solução. Estranho? Nem por isso.

Talvez ainda não tenham percebido o meu ponto de vista... talvez porque nunca pensaram nisso ou porque nunca esse facto vos despertou atenção. Mas o que fazem essas pessoas? Simples: para cada solução apresentada elas arranjam um novo problema. Porquê? Bom...não sei ao certo, mas tenho para mim que essas pessoas gostam de ter sempre alguma coisinha com que se preocupar...algo que lhes ocupe o pensamento, que os mantenha na ribalta das atenções, algo que na verdade os impeça de resolver o problema inicial.

- Hoje não me apetece nada cozinhar.
- Não? Tudo bem. Vamos jantar fora... um dia não são dias e merecemos.
- Não sei... esta a chover.
- Sim, mas podemos ir aquele restaurante que tem garagem, não precisamos apanhar chuva.
- Pois... mas deve estar cheio de gente.
- Talvez... podemos telefonar a perguntar.
- Não vale a pena, vamos agora estar a incomodar...
- Podemos ir a outro sitio. Olha vamos ao shopping, jantamos, vemos um filme...hã que te parece?
- Não... não estou com paciência para filmes.
- Ok... jantamos só...
- Deve haver imensa gente... não tenho paciência para filas e assim...
- Ok... então só se mandarmos vir um take away. Que te apetece? Chinês? Italiano?
- Sei lá... take away é chato. Com este tempo demora uma eternidade.
- Costuma ser rápido... ou vou eu buscar qualquer coisa.
- Hummm... não... deixa estar... não vale a pena saires com este tempo.
- Então, que queres fazer?
- Humm... acho que vou fazer uma salada e comemos o resto do jantar de ontem...importaste?

Lá está... um exemplo simples e claro de quem tem sempre um problema para cada solução... Ai... não me digam que se identificam? ;)

sexta-feira, fevereiro 16, 2018

Aprende a afastar-te


Por mais difícil que por vezes possa parecer, chega uma altura em que temos de aprender a valorizar-nos e sobretudo temos de entender que na verdade somos a única pessoa imprescindível na nossa vida... aceitar que todos os que nos fazem mal e nos tentam cobrir com a sombra da sua má energia estão a mais e não nos fazem falta.

Era bom se na vida real houvesse um botãozinho que desse para bloquear certas pessoas, assim libertávamos espaço para as coisas que valem a pena, para pessoas que realmente importam e deixávamos ir a flutuar no espaço as criaturas que nos atrasam, nos diminuem e nos arrastam para o poço negro da energia negativa.

Aprende a afastar-te daqueles grandes amigos que só se lembram de ti quando precisam de alguma coisa ou quando lhes podes ser útil de alguma forma... aprende a afastar-te daquelas pessoas que te drenam a energia e te esvaziam a paciência... aprende a afastar-te daquelas pessoas que "morrem" por atrair atenção e compaixão quando na verdade tudo não passa de teatro...aprende a afastar-te das pessoas que não te acrescentam, que não te movem, que não se alegram com as tuas vitórias, que não são verdadeiras, que não te fazem sorrir genuinamente.

Aprende a afastar-te... aprende a gerir corredores e distâncias de segurança, aprende a partilhar o mínimo, aprende a minimizar e sobretudo aprende que a culpa não é tua... aprende a perceber as pessoas que são tóxicas para ti e aprende a afastar-te delas.

Aprende a dar o teu apoio a quem realmente precisa dela, aprende a partilhar o teu afecto com aqueles que te iluminam a alma e o coração com um simples "Olá", aprende a compreender aqueles estão lá para ti, aprende o significado e o bem que faz à tua vida manteres perto de ti aqueles que sabem o significado de reciprocidade.

Aprende a escolher e a guardar, como um tesouro, as "tuas pessoas", aquelas que dão sentido à tua vida, que animam a tua existência, que fazem de ti todos os dias uma versão melhorada de ti mesmo, aprende a estimar o valor de um amigo de verdade, de um sentimento real, de uma gesto genuíno ou de uma palavra honesta.

Aprende a afastar-te daquilo que não te faz bem, de tudo o que te suga a energia, de tudo o que te diminui, de tudo o que te desvaloriza, de tudo o que não te faz falta... aprende a afastar-te daquilo com que não te identificas, daquilo que te magoa, daquilo que te oprime... aprende a afastar-te sem olhar para trás.

Aprende a afastar-te de tudo aquilo que te afasta de quem tu és na verdade e de quem tu queres ser!

sexta-feira, fevereiro 02, 2018

Apaixona-te

Apaixona-te de forma intensa, vibrante e inequívoca pelos teus sonhos
 (os teus sonhos deve ser os mais apaixonantes do mundo).

Apaixona-te pela tua família
(ainda que possa não ser como tu desejavas, ainda que possa ter os seus problemas, ela é e será sempre a tua família).

Apaixona-te pelos teus amigos
(sobretudo por aqueles que te dão a mão nas horas difíceis e partilham os sorrisos das horas alegres)

Apaixona-te pela viagem e não te preocupes tanto com o destino
 (a viagem é garantida o destino nem por isso.).

Apaixona-te pelo teu corpo
(ainda que esteja fora de forma, que não corresponda ao conceito de beleza instituído…porque ele é a única coisa verdadeiramente tua).

Apaixona-te pelas tuas histórias, os teus momentos, as tuas memórias
(porque isso ninguém te pode tirar e podem ser a tua força nos momentos de fraqueza).

Apaixona-te pelo teu projecto de vida
 (acredita nele, luta por ele porque a tua vida é tua e só tua!).

Apaixone-se pelo significado das coisas
(porque o que vale a pena é o que as coisas significam e não o valor que têm)

Apaixona-te pelas tuas ideias
 (ainda que te digam que não valem nada, que são parvas ou sonhadoras…luta por elas e acredita nelas).

Apaixona-te pela ideia de viver verdadeiramente a felicidade
 (mas lembra-te de a buscar a partir de dentro e não em teu redor).

Apaixona-te perdidamente por ti mesmo e sobretudo apaixona-te  por quem és!

segunda-feira, janeiro 29, 2018

Motivações improváveis, ou talvez não...

Existem pequenas coisas que acontecem, aparentemente sem razão, mas que de alguma forma nos inspiram e nos motivam. Pequenas coisas que nos fazem olhar em volta com outro olhar e a descobrir novas perspectivas e novas tonalidades.

Existem pequenas coisas que nos fazem perceber que o caminho não é linear, mas sim cheio de ramificações, de atalhos, de possibilidades e alternativas. Pequenas coisas que nos fazem ver outras tonalidades para além da paleta de cores a que nos acostumámos.

Existem pequenas coisas, pequenos gestos, pequenos trejeitos, pequenas palavras... pequenas coisinhas aparentemente sem importância que por vezes são o bastante para nos fazer olhar o mundo, as pessoas e a vida de outra forma. Pequenas coisas que nos mostram o que se esconde por trás daquilo que a vista alcança.

Existem pequenas coisas que nos fazem repensar e rever a nossa vida... que nos fazem questionar as nossas posições e as nossas certezas... que nos fazem questionar a existência de valores e de verdades.

Existem pequenas coisas que nos estimulam, que nos motivam, que nos fazem querer ir mais além, que nos fazem querer fazer mais e melhor, que nos fazem crescer, evoluir e andar para a frente. 

Uma simpática senhora acima dos 60 anos, que passa por ti alegremente a correr no meio da serra e que se aventura a fazer 15 kms de trilhos e ainda por cima num belo tempo... bom essa é uma das pequenas coisas que nos fazem equacionar as nossas limitações, a nossa vontade, a nossa força... Quando alguém que passou por um longo processo de doença consegue superar todos os obstáculos e fazer coisas que tu (felizmente saudável e apto) achas que nunca vais conseguir fazer... bom essa é outra pequena coisa que nos faz questionar a nossa visão da vida e de nós mesmos, faz-nos olhar com outros olhos a nossa própria existência...
Quando alguém, que tem tudo menos motivos, sem mais nem para quê te trata como se fosses a pedra mais rasca da calçada...bom essa é outra pequena coisa que te faz olhar os outros com olhos mais atentos e perceber que de facto o livro não se pode julgar pela capa...
Quando alguém te desmerece porque te acha gordo ou magro, alto ou baixo, bonito ou feio... bom essa é outra pequena coisa que te faz repensar a forma como nos situamos na sociedade, a forma como delineamos prioridades, a forma fútil como por vezes olhamos as coisas sem lhes dar uma oportunidade...
Quando alguém decide silenciar-se e esperar que tu, sejas no mínimo subserviente, e consecutivamente dês o primeiro passo como se fosse essa a tua obrigação e porque tu é que o deves fazer, não por uma razão lógica mas porque as pessoas gostam de ser bajuladas e adoradas... bom essa é outra pequena coisa que nos leva a questionar o tipo de pessoas que queremos na nossa vida, o tipo de relações que queremos manter e aquelas que mais vale cortar pela raiz...

Pequenas coisas que por vezes são grandes motivações... pequenas coisas que aparentemente são motivações improváveis, mas que quando analisas a fundo percebes que são muito válidas, muito justas e muito pertinentes. E se querem que vos diga são essas pequenas motivações que nos fazem mudar, que nos fazem analisar, que nos fazem crescer, que nos fazem aprender e sobretudo que nos fazem ser uma versão melhor de nós mesmos!

sexta-feira, janeiro 19, 2018

Persiste...


Não te deixes abater pelas adversidades, pelas tempestades e pelos obstáculos de cada dia. Não te deixes abater pelas falhas, pelos erros, pelos mal-entendidos. Chora se tiver de ser, grita se tiveres vontade, vira a mesa se for essa a solução mas não desistas…continua a acreditar e a tentar.

Não deixes que os pensamentos negativos e as más energias te desestabilizem, não deixes que a desmotivação e a frustração alheia te arraste para uma espiral de negatividade e confusão, não combatas guerras que não são tuas. Se estiveres cansado… pára… respira… pensa… concentra-te… e volta a insistir, não desistas… nunca desistas, porque só quem persiste alcança alguma espécie de triunfo.

Aprende a viver! A vida pode ser uma festa ou um drama… depende de ti. A vida está cheia de coisas maravilhosas para experimentar, de pessoas fantásticas que superaram obstáculos imensos e continuaram em frente, de pessoas que te podem inspirar a ser cada vez mais e melhor. Cerca-te de pessoas cuja energia te faz bem…cuja força te alimenta como a luz do sol… não te deixes ficar tempo demais junto de energias negativas ou acabas por ser corrompido por elas.

Ninguém nasce ensinado, ninguém aprende nada do pé para a mão… ninguém te pode exigir que sejas mais do que aquilo que podes ser e ninguém te pode impedir de ser quem tu mereces ser. Leva o teu tempo…caminha ao teu ritmo, avança ao teu passo, percorre os teus trilhos… mas nunca te esqueças de persistir e de te apaixonar pela vida a cada passo!

sexta-feira, janeiro 05, 2018

O possível impossível

Não existem impossíveis dizem uns... isso tudo é impossível dizem outros... deixando-nos na dúvida do que é ou não impossível.
Na verdade existem impossíveis...e muitos... é verdade...sabem porquê? É simples na verdade: impossível é tudo aquilo que não tentamos! Impossível é tudo aquilo que não experimentamos! Impossível é tudo aquilo que não vivemos!
Tudo o que não fazemos é impossível para nós, obviamente. Mas se tentarmos...se experimentarmos...se vivermos... chegamos à conclusão de que há muito mais possíveis do que impossíveis.
O impossível é a diferença entre tentar e não tentar...entre fazer e não fazer... entre arriscar e não arriscar...entre fazer e não fazer... entre acreditar e não acreditar.
O impossível é apenas o possível ainda não tentado :)

Inspirações + Motivações = Novidades!

Não é desconhecido o meu gosto pela escrita...aliás talvez até seja para alguns... Deste percurso fazem parte muitos caminhos, muitos capít...