quarta-feira, outubro 10, 2018

Cresce e descobre-te...

O crescimento é um processo contínuo, uma longa estrada feita de muitas e variadas etapas, uma parte essencial da vida e da nossa existência.
Crescer é bom, sobretudo quando se cresce apartir do interior, quando se cresce em sabedoria, em conhecimento e sobretudo quando se cresce a nível interior.
À medida que vamos crescendo vamos também descobrindo-nos a nós mesmos, vamos descobrindo novas nuances da nossa personalidade, vamos descobrindo novas forças, novos horizontes, novas formas de ser e de fazer.
Mal de quem deixa de crescer, de quem se acomoda, de quem se acostuma ao instituido e aos costumes, mal de quem deixa de sentir curiosidade, de querer aprender, de querer saber mais, de querer ir mais além, mal de quem deixa de querer ultrapassar os seus próprios limites.
Mal de quem deixa de sonhar, de ter metas, de sonhar novos sonhos, de querer novas experiências, de querer conhecer novos lugares e novas pessoas.
Mal de quem se acostuma consigo mesmo... de quem parou no tempo e ainda vive no antigamente...de quem tem medo de avançar, de evoluir, de se construir...
Crescemos interiormente através das experiências que temos, dos lugares que visitamos, das pessoas que conhecemos... através dos inesperados encontros e desencontros que a vida nos tráz. Crescemos quando aceitamos a nossa própria descoberta, quando não nos chega deixar como está, quando não nos basta fazer como sempre se fez, quando não nos basta ir onde sempre se foi.
Crescemos quando ganhamos asas na alma e seguimos mapas no coração!
Crescemos quando a nossa coragem é maior que os nossos medos!
Crescemos quando descobrimos que somos capazes de muito mais!


terça-feira, outubro 09, 2018

Revelações

Existe um sem número de revelações, de diversos géneros, de diversas intensidades e sobretudo de diversas origens.
Algumas revelações deixam-nos contentes, outras nem por isso, algumas surpreendem, outras dão-nos gana de bater em alguém, algumas são inesperadas e outras são há muito anunciadas.
Revelam-se coisas, situações, lugares, pensamentos... mas sobretudo revelam-se pessoas. 
Revelam-se pessoas... e isto é quase sempre (salvo honrosas excepções) mau sinal, porque normalmente as pessoas revelam o seu pior lado, o lado mais mesquinho, mais egoísta, mais aproveitador, mais manipulador e sobretudo mais mentiroso. Disse alguém um dia que não se consegue enganar toda a gente o tempo todo... e é verdade.
Mas muitas vezes, quando pensamos sobre o assunto, vemos que na verdade as revelações são pouco mais do que o assumir de coisas que sempre soubemos mas que por conveniência (real ou imaginada) fingimos não saber.
Na verdade quem não é genuíno acaba sempre por mostrar o seu verdadeiro eu, acaba sempre por se revelar, acaba sempre por deixar cair a máscara e acaba invariavelmente por ficar feliz consigo mesmo por ter conseguido manter a farsa tanto tempo.
Revelam-se falsidades, mentiras, enganos... e finalmente um dia percebemos quem realmente está ali, quem se escondeu atrás de esquemas, quem nos ludibriou com falinhas mansas, quem nos enganou com artimanhas, quem nos levou a crer que a felicidade estava ali... quem nos fez esquecer daquilo que somos na verdade.
Ultimamente têm chovido revelações...algumas surpreendentes...outras admitamos que nem tanto... mas todas elas tiveram o seu impacto, as suas consequências, todas deixaram a sua marca. No fim de tudo fica-me a martelar na cabeça uma pergunta: como é que se consegue viver assim...numa mentira consentida...como é que se consegue dormir de noite e andar de cabeça erguida na rua... como é que se consegue manter tanta farsa e tanta ilusão...? Não sei... e confesso que prefiro não saber.
Admito que prefiro outras revelações... aquelas raras que vêm com carga positiva, que enchem a nossa vida de luz e de esperança, que nos enchem a alma e aquecem o coração. Essas sim... essas valem a pena e fazem sentido...

Sê luz...

Sê a luz que ilumina o caminho de alguém, sê a luz que altiva nos guia lá do alto, não sejas sombra nem mágoa para ninguém, não fujas nem...