quarta-feira, novembro 06, 2019

Por vezes faz-me falta

Por vezes faz-me falta o teu silêncio ensurdecedor,
faz-me falta sentir a tua revolta desfeita em espuma,
faz-me falta ouvir das tuas ondas o rebelde clamor,
faz-me falta ver aquilo que a vista não vislumbra...
Por vezes faz-me falta a tua voz serena e branda,
faz-me falta sentir a tua leve e ondulante vibração,
faz-me falta ouvir desfalecer no areal a tua demanda,
faz-me falta ver a vida com os olhos serenos do coração...
Por vezes faz-me falta o abraço silencioso da tua calma,
faz-me falta sentir a tua magnética e estranha atracção,
faz-me falta ouvir a voz da ondas que traz a calma,
faz-me falta ver para além da primeira percepção...
Por vezes faz-me falta o teu silêncio ensurdecedor,
faz-me falta sentir o teu aconchego e conversar,
faz-me falta ouvir a tua voz cheia de luz e calor,

faz-me falta ver a tua perfeita imensidão... oh mar!

(Dezembro 2017)

terça-feira, novembro 05, 2019

Auto sabotagem



Muitas vezes sabotamo-nos a nós próprios, às vezes de forma inconsciente e outras conscientemente.

Por vezes criamos entraves e dificuldades para termos uma desculpa para algo, criamos as nossas próprias desculpas, na verdade arranjamos forma de não parecer que temos medo, falta de vontade ou pouca determinação.

Arranjamos desculpas, inventamos razões e desfazemo-nos em explicações e justificações sem sentido, apenas para evitar encarar a realidade. Escondemo-nos atrás das desculpas que arranjamos para justificar a nossa falta de atitude, o nosso deixa andar, o nosso não sou capaz, o nosso conformismo e a pena que no fundo sentimos de nós mesmos… 

No dia em que deixares de sabotar-te a ti mesmo, vais conseguir avançar, evoluir, crescer, vais ver como o progresso existe ainda que possa ser lento.

No dia em que deixares de te sabotar é o dia em que vais superar-te!

Quando deixares de arranjar desculpas vais arranjar formas e quando arranjares formas vais conseguir!

Quando deixares de te esconder atrás de resoluções que nunca cumpres e passares à acção aí sim, verás sinais de mudança!

Quando te renovares a partir de dentro poderás ver resultados do lado de fora!

Quando deixares de sentir que não vale a pena e perceberes que tu vales muito a pena, aí sim poderás avançar!

Quando deixares de te sabotar e de culpar os outros pelas tuas falhas, quando assumires as culpas das tuas atitudes, aí sim, aí poderás seguir em frente!

segunda-feira, novembro 04, 2019

Tu és capaz!

Tu és capaz! Tu és capaz de fazer tudo o que que quiseres! Tu consegues! 
Tudo isto é verdade, mas para acontecer é preciso uma coisa: tentar!
Não desistas antes de tentar!
Não digas que não consegues antes ainda de ver o que é preciso fazer!
Não digas que não és capaz sem pelo menos tentar uma vez!


Tu és capaz do que quiseres se te empenhares, se te esforçares, se te dedicares, se quiseres mesmo fazer acontecer! 
Tu consegues aquilo a que te propuseres, independentemente do tempo que possas demorar!
Tu consegues...se fizeres disso o teu objetivo, a tua luta!
Se não quiseres... Então é certo que não vai acontecer, mas se queres vai atrás e faz acontecer!

quarta-feira, agosto 14, 2019

Sê luz...

Sê a luz que ilumina o caminho de alguém,
sê a luz que altiva nos guia lá do alto,
não sejas sombra nem mágoa para ninguém,
não fujas nem te escondas no ressalto,
sê a luz que brilha na escuridão da vida,
sê a luz que enche de esperança e cor,
não sejas tristeza que anda perdida,
não sejas pena que encarcera o amor.
Sê a luz que é pura e cristalina,
sê a luz que acende paz na alma,
não sejas escuridão que se torna rotina,
não sejas tristeza que abafa a calma,
sê luz que acende a esperança na vida,
sê luz que guia pelas pedras do caminho,
não sejas incerteza sem peso nem medida,
não sejas peregrino que se arrasta sozinho.
Sê luz! Luz que vive e faz viver,
luz que incentiva e ajuda a crescer,
luz que brilha, que motiva, que encandeia,
luz que que brilha e guia a vida inteira!

segunda-feira, julho 22, 2019

Mais do mesmo...outra vez!

Ainda todos trazemos gravados na memória os incêndios de 2017, ainda todos guardamos as imagens da tragédia e todos concordamos que nada foi igual desde então.
Promessas, comissões e mais comissões, inquéritos, estudos, papel e mais papel...e a frase que ficou: esta tragédia não pode repetir-se!
Mas afinal o que mudou? 
Os incendiários continuam a ser todos doidos, depressivos, maluquinhos  e etc. e tal, são apanhados e postos em liberdade para poder repetir a proeza! A máfia por trás dos incêndios continua activa, assim como a máfia que lucra com a desgraça dos outros!
E o país continua a arder… e a culpa é das vagas de calor, dos atrasos burocráticos, desde, daquele e do outro… a culpa é de todos e nunca é de ninguém!
De que vale gastar dinheiro a limpar terrenos que os que lucram com a sua destruição arranjam cada vez meios mais sofisticados para o fazer? Os incendiários, esses evoluíram e já não arriscam a pele a acender a acender o fósforo, agora fazem deflagrar incêndios por controlo remoto! E toda a gente sabe, mas ninguém os apanha, ninguém os pune, ninguém os faz sentir na pele a dor de quem perde o trabalho de uma vida, ninguém os faz sentir na pele a dor das queimaduras de quem luta até ao fim para defender o que é seu, ninguém os faz sentir a dor de quem perde o tecto e o sustento, ninguém os incomoda… talvez porque são todos malucos, depressivos, infelizes!
E lá vem mais do mesmo...um país a arder, mas como não morreu ninguém não há tragédia, apenas uns quantos incomodados com o facto de quem está no terreno dizer que não aprendemos nada com o passado! E pelos vistos não! Pelos vistos só aprendemos novas formas de embolsar dinheiro, quer seja a desviar donativos, quer seja a beneficiar familiares e amigos com os fundos destinados a quem continua a viver na miséria, quer seja a embolsar multas por falta de limpeza dos terrenos! Limpam-se os terrenos, boa, mas se não há meios, nem coordenação, nem planos, nem uma máquina funcional e bem oleada de que serve? 
Os senhores que estão tão indignados deviam talvez estar preocupados em resolver as situações em lugar de andarem preocupados com eleições, inaugurações de última hora e coisas afins!
Mas enfim… mais do mesmo...outra vez! Lá vem o jogo do empurra, mais meia dúzia de comissões e de inquéritos, mais bate boca, mais conversa da treta! E no fim, vai ficar tudo na mesma...outra vez!

sexta-feira, julho 19, 2019

Haja alegria!

Haja luz, haja alegria,
haja sol e companhia,
haja risos e emoções
haja amor nos corações!

Haja boa disposição,
haja ânimo descontração,
haja força, haja energia,
haja paz no dia a dia!

Haja sorrisos abertos,
haja sentidos despertos,
haja vontade e energia,
haja luz, haja alegria!

terça-feira, julho 16, 2019

Pétalas Desfolhadas

Foste embora quando nada o fazia prever,
partiste sem um adeus que fosse,
nunca olhaste para trás para ver o que ficava
e atrás de ti ficou um mundo incrédulo,
uma imensidão de pessoas que não queriam
e não podiam acreditar que fosse verdade.
Deixaste para trás a vida que era tua por direito,
deixaste o mundo que te estava guardado,
deixaste um rasto de dor e de pranto.
Partiste... não podia acreditar que tivesses
ido embora de uma vez por todas...
não podia acreditar que nunca mais iria ver
o brilho do teu sorriso ou a juventude do teu olhar.
Não podia ser verdade! Recusei-me a aceitar...
mas tive de aceitar... tinhas mesmo ido embora
para nunca mais voltar. De ti ficou a doce lembrança
de uma pessoa muito especial. Durante muito tempo
a noite era fria e triste no gelo da perda, mas depois...
depois passei a olhar o céu todas as noites,
passei a ver em cada estrela o brilho do teu olhar
e em cada raio de luar a magia do teu sorriso
tão doce, tão terno e ainda tão juvenil.
Partiste na flor da idade e deixaste espalhadas no chão
as pétalas desfolhadas da vida que era tua.
Continuo a olhar o céu todas as noites, pois só assim
o tempo passa e tu continuas pertinho de mim...


Poema de 2009 dedicado a todos os amigos que infelizmente partiram na flor da idade... em especial a uma querida amiga que há muitos anos partiu num mês de Julho...

quinta-feira, junho 27, 2019

Vitória



Vitória... parece uma coisa exclusiva de gente capaz de grandes feitos... e é, mas na verdade a vitória é de toda a gente e está ao alcance de todos.
Desengane-se quem acha que nunca teve uma vitória...talvez nunca tenha tido uma daquelas vitórias que fazem notícia, que dão prémios e reconhecimento, talvez nunca tenha vencido nada que parecesse ter relevância. Mas já venceu muitas coisas!
Vence todos os dias quem enfrenta os seus medos!
Vence todos os dias quem luta pelos seus sonhos!
Vence todos os dias quem batalha por um objectivo!
Vence todos os dias quem dá o seu melhor!
Vence todos os dias quem acorda para a vida!
Vence todos os dias quem enfrenta as suas dificuldades!
Vence todos os dias quem supera os seus limites!
Vence todos os dias quem ama, quem vive, quem sonha!
Vence todos os dias quem faz o melhor, quem dá o seu melhor, quem arrisca, quem vai à luta, quem não se dá por vencido!
Vence todos os dias quem vence sem se dar conta de como a sua vitória é importante!
Mais importante do que celebrar as grandes vitórias é celebrar todas as pequenas vitórias diárias que nos conduziram até ali!

domingo, junho 16, 2019

O poder das palavras

Resultado de imagem para palavras


Creio que a maioria das pessoas ainda não percebeu bem o poder que a palavra tem, ainda não entendeu que uma simples palavra pode construir todo um futuro como pode destruir uma vida. 
Uma simples palavra pode ferir mais do que um soco na cara, pode magoar mais que um murro no estômago, pode matar mais do que uma faca nas costas...uma simples palavra pode fazer mudar toda um dinâmica, destruir todo um passado e arruinar toda a esperança de um futuro.
Muitas vezes dizemos as coisas no calor do momento, não medimos o que dizemos, abrimos a boca e lá vai...esquecemo-nos que uma vez ditas as coisas não podem ser desditas.
A palavra sai e afecta quem a recebe no imediato...e fica lá...a macerar...como uma daquelas balas que não mata mas que fica alojada para nos lembrar o que aconteceu.
A palavra dita, não pode ser desdita...podemos pedir mil desculpas, refazer todas as frases mas a que fica é a que foi dita em primeiro lugar e essa é a que tem o poder de mudar muito mais do que imaginamos.
As palavras podem ser ignoradas, podemos fazer de conta que não ouvimos, podemos fingir que acreditamos que não eram para ser ditas, podemos até desculpar porque foram ditas no calor do momento, no auge da raiva e dos nervos...mas a verdade é que não as esquecemos e não as perdoamos, limitamo-nos a fazer de conta...e esperamos pela altura certa para as atirar de volta à cara de quem as disse.
Ao fim de algum tempo aprendemos a não chorar, a não sofrer, a não nos martirizar com as palavras que nos dizem, nem com o tom agressivo que as dizem, aprendemos a fazer de conta que não foi nada, aprendemos a fazer de conta que está tudo bem...ignoramos, passamos à frente e aguardamos pacientemente que o karma cumpra a sua função...e talvez seja impróprio dize-lo mas sabe bem ver como por vezes as pessoas se afogam nas suas próprias palavras, como a lei do retorno é implacável, se bem que por vezes demorada.
A palavra tem o poder de mudar o mundo, para o bem ou para o mal...tudo depende do que dizemos, como dizemos e a quem dizemos. 
A palavra dita é como seta disparada pelo arco, não pode voltar atrás...podemos apenas esperar que não faça grandes estragos, controlar os danos e esperar que a vida se encarregue de nos dar oportunidade de a devolver ao remetente.
As palavras mal ditas matam sentimentos, matam simpatias, afogam possibilidades, afastam pessoas...alimentam ódios, rancores, guerras e vinganças. Atiramos palavras porque não podemos atirar pedras e ainda bem... se não já nos tínhamos morto uns aos outros por coisa nenhuma...
Continuo a acreditar na palavra...continuo a acreditar no seu poder construtivo... continuo a acreditar no seu poder, na sua força...por isso tenhamos cuidado com o que nos sai da boca...lembremo-nos que a palavra com que ferimos pode ser a mesma que nos mata!


segunda-feira, maio 27, 2019

O que te define

Não é a grandeza que te define, não é a grandiosidade das tuas conquistas nem o valor dos teus bens que te define…o que te define são os pequenos passos que te dispões a dar para chegar a algum lado.
O que te define são os teus gestos, as tuas atitudes, as tuas palavras...o que te define é o que és capaz de fazer por ti e pelos outros, sem seres tu a prioridade, sem ser para que os olhos alheios vejam. 
O que te define não é o quão alto clamas as tuas conquistas ou as tuas misérias, mas o quão baixo vives com as tuas tristezas e acomodas as tuas vitórias.
O que te define não é o que o que os outros dizem de ti...o que te define é o que tu és...o que te define é aquilo que poucos veem: o teu verdadeiro eu.
O que te define é a tua capacidade de ser humilde nas conquistas e forte nas derrotas, é sobreviver às tempestades sem ter de culpar ninguém.
O que te define é seres capaz de estender a mão sem esperar nada em retorno, o que te define é saberes aceitar as diferenças de cada um e contruíres paz em teu redor.
O que te define são os sorrisos que ofereces, as palavras com que confortas e os gestos com que acarinhas.
O que te define é aquilo que tu lutas para ser, aquilo que tu és, aquilo que dás aos outros, aquilo que tu vives e partilhas.
O que te define é a grandeza da tua pequenez...

quinta-feira, abril 25, 2019

O valor das pequenas coisas

Hoje em dia as pessoas entraram numa espiral de aceleração que de repente deixaram de ter tempo para muitas coisas...a questão é deixaram de ter tempo ou simplesmente não sabem dar valor às pequenas coisas?
A desculpa do não tenho tempo é uma moda que veio para ficar e que serve para quase tudo... excepto para justificar a falta de vontade, de determinação, de querer, como se ter tempo para algo fosse quase um pecado.
Se prefiro ir caminhar em lugar de... sim, mas o que quer que tenha ficado para trás será feito noutra altura. Não se trata de trocar uma coisa por outra, trata-se apenas de reajustar as prioridades.
A vida é um ciclo, é temporária, passa sem darmos por isso e acaba de repente sem avisar...tudo o que fica são as memórias do que foste e do que fizeste, tudo o que levas contigo é aquilo que viveste, aquilo que fizeste, aquilo que viveste...o resto fica tudo para trás.
Aproveita a vida, vive-a, aprecia as pequenas coisas, saboreia os pequenos momentos, celebra as pequenas conquistas como se fossem gigantescas, não deixes de viver só porque não tens tempo...quando menos esperares deixarás mesmo de ter tempo e já não há volta a dar.
Sonha...conquista...alcança...vive! Não deixes para depois, o tempo de arriscar, de viver, de construir é agora...agora que ainda és capaz, que ainda tens capacidade, que ainda podes...porque de repente podes não poder e tudo o que vais ter são um monte de "e se...?".
Valoriza as pequenas coisas pois são elas que conduzem a grandes coisas, não menosprezes as pequenas conquistas, celebra-as e eleva-as, não minimizes as tuas coisas porque são tão grandes e importantes como as dos outros, não te percas no tempo porque um dia já não vais ter tempo...

domingo, março 17, 2019

O poder do impossível

Há algum tempo atrás,  há  três  anos para ser exacta, decidi que estava na altura de experimentar algo novo,  algo que sempre me intrigara mas que nunca ousará experimentar pois achava que era impossível para alguém como eu...
Nesse dia... Ao fim de meia hora confesso que pensei nunca mais voltar,  achei que era impossível conseguir alcançar o que fosse... Mas ao mesmo tempo não queria de todo desistir por medo ou por vergonha.
As frases "Se eu consigo tu também " e "Impossível é tudo aquilo que não tentamos " ficaram a martelar-me a cabeça... E decidi tentar...e embora já tenha pensado mil vezes desistir decidi que era altura de alimentar a minha coragem em vez dos meus medos.
Depois disso vieram novos objectivos,  novas vontades,  novos desafios ... E nem sempre é  fácil manter o ânimo... Mas aprendi, tardiamente talvez,  que o que deixamos de fazer por medo é apenas uma desculpa para não admitir que falhamos.  Acontece que só falha quem tenta e que só quem tenta aprende,  evolui e cresce... Quem nunca tenta nunca falha mas também nunca sai da cepa torta.
Aprendi que muitos dos nossos limites somos nós que os criamos,  que muitos dos nossos medos só fazem sentido porque os alimentamos,  que se não formos atrás nada nos vai cair no colo.
Por isso não tenham medo de arriscar,  de tentar,  de falhar e tentar de novo,  não tenham medo de viver.. .tenham medo de estagnar,  de viver no confortavelmente, de ficar agarrados a preconceitos...não critiquem quem faz só porque vocês não tem coragem de tentar... Não comentem no que nunca foram capazes de arriscar e sobretudo fiquem em silêncio se não tiverem nada de bom a dizer.
Sejam todos os dias um pouco melhores,  dêem todos os dias um pouco mais, afinal só vivemos uma vez e tudo o que levamos é o que fomos e o que fizemos e tudo o que fica são memórias... Certifiquem-se que as que deixam valem a pena!

quarta-feira, fevereiro 20, 2019

Tempo...

O tempo passa...depressa demais muitas vezes.
O tempo passa...corre, sem nos apercebermos disso e muda tudo num piscar de olhos.
O tempo ensina-nos a viver sem, ensina-nos a seguir em frente quando tudo nos diz para atirar a toalha ao chão, ensina-nos a avançar com olhos postos no dia de amanhã.
A vida segue o seu curso, por vezes indiferente ao tempo que passa e por vezes atropelada pelo tempo...mas segue aos trancos e barrancos...mas segue...
A vida muda com o tempo... e acho que o tempo muda com a vida...ou talvez nos adaptemos a ele e uma coisa siga a par com a outra... não sei...
A vida pede tempo... tempo que insistimos em dizer que não temos! Nunca temos tempo para nada, nem para ninguém, nem para ser quem queremos ser...mas por vezes a vida troca-nos as voltas e de repente temos tempo para tudo...para tudo aquilo para o qual antes não tinhamos tempo...e um dia a vida muda, o tempo muda e nós mudamos.
O tempo depende de nós...daquilo que estamos dispostos a fazer com ele e por ele...! A vida depende do tempo mas o tempo também depende da vida...e ambos dependem de nós!

domingo, janeiro 27, 2019

Arrependimento

O arrependimento é uma emoção complicada...pode e deve haver arrependimento quando fazemos deliberadamente algo que pode magoar outra pessoa, pode e deve haver arrependimento quando se incendeiam carros de pessoas que nada têm a ver com a frustração mesquinha que se possa estar a sentir...a menos que sejamos simples boçais cuja única função na vida é destruir, causar desacatos e incendiar rastos de violência gratuita.
Deve haver arrependimento quando deliberadamente se destrói a vida de alguém com base em falsas acusações, por cobardia e por medo de assumir as próprias atitudes.
Deve haver arrependimento quando se magoa alguém sem necessidade, apenas porque não queremos estar sozinhos na frustração.
Deve haver arrependimento quando julgamos, maltratamos e violentamos os outros, simplesmente porque não são o que queríamos que fossem, porque não correspondem aos nossos padrões (tantas vezes deturpados e mal concebidos).
Deve haver arrependimento quando o erro, o mal, a ofensa, a mesquinhez é gratuita, mal intencionada, desproporcionada e desnecessária...
É a capacidade de mostrar arrependimento que faz de nós pessoas... e é isso que nos distingue de certos exemplares boçais execráveis que dão mau nome à raça humana em geral!

Mas existe outro tipo de arrependimento, aquele que vem do que não fizemos por medo, por vergonha, por temer a opinião alheia, por não confiarmos o suficiente em nós, por podermos ser mal interpretados. O arrependimento por aquilo que deixámos de fazer, de viver, de experimentar, de tentar, apenas por receio, por medo ou vergonha, apenas por tentarmos encaixar no que esperavam de nós, apenas por tentarmos ser não o que somos mas o que os outros esperavam de nós.

Como qualquer ser humano tenho alguns arrependimentos... mas arrependo-me do que não fiz, do que não vivi, do que não tentei, do que não ousei, do que não terminei...arrependo-me das coisas que deixei para trás, das oportunidades que não agarrei, dos momentos que não vivi, das experiências que não aproveitei...não me arrependo de nada que tenha feito, porque sei que nada fiz para deliberadamente prejudicar ou magoar alguém.

O arrependimento não é sinal de fraqueza...antes pelo contrário é sinal de que ainda temos a capacidade de distinguir o bem do mal, o certo do errado e o bom do mau. É sinal de que ainda há espaço para progredir, para melhorar, para recuperar e sobretudo para fazer diferente, para fazer mais e melhor sem arrependimentos!

Por vezes faz-me falta

Por vezes faz-me falta o teu silêncio ensurdecedor, faz-me falta sentir a tua revolta desfeita em espuma, faz-me falta ouvir das tuas onda...