:Licença Creative Commons

domingo, maio 13, 2007

Hoje partilho com quem ler estas linhas um momento muito especial: fiquei em primeiro lugar ex-equo com outro autor no concurso "Primeiro Concurso de Poesia em Rede" instituido pelo site Poesia em Rede e em que o tema era o Amor.
E que tem isso de especial? - Perguntam vocês.
Muito. - Respondo eu.
Foram apresentados a concurso 152 poemas e cabia ao participantes elegerem os seus 3 preferidos e apesar de nem todos os participantes terem votado, significa que houve muita gente a ler o meu poema, a gostar dele e a votá-lo.
Para mim é um orgulho! Confesso que é.
No entanto o autor que repartiu comigo este prémio tem um grande talento e por certo com o avançar dos anos irá tornar-se cada vez melhor, a ele parabêns também.
Assim deixo-vos o poema que apresentei (que inclusivé já tinha repartido convosco aqui nestas páginas) e que recebeu esta distinção, bem como uma parte dos dados apresentados sobre mim.


Hoje olho-te

Hoje olho-te com a indiferença de um passado distante,
Já não sinto aquele aperto imenso dentro do peito,
Já não sinto o coração a bater descompassadamente,
Já não baixo o olhar, limito-me a seguir adiante,
Já não sinto mágoa, nem dor nem sequer despeito,
Já não sinto tristeza nem choro como antigamente.

Hoje olho-te à distância de um amor imenso
Que foi sem nunca ter sido mais que uma ilusão.

Hoje olho-te à distância e com um sorriso penso
Que és de todas a minha mais doce recordação.

Hoje olho-te à distância e não consigo evitar a saudade
Que a tua simples presença trás à minha memória.

Hoje olho-te à distância e sinto em mim essa verdade
Que me diz que és sem ter sido a minha melhor história!

Helena

Sobre a Autora:
Poema que elegia como o poema da sua vida:
Todos os que li ao longo da vida e que num determinado momento me deram força, incentivo e coragem para não baixar os braços e seguir em frente.
Poeta preferido:
Gosto de diversos poetas, de entre todos saliento Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca e Ary dos Santos.
Importância da poesia na sua vida:
A poesia na minha vida é fundamental para o meu bem-estar e para o meu equilíbrio.
O seu primeiro poema:
Escrevi o meu primeiro poema com 11 anos, na altura foi a forma que me surgiu de libertar o que me ia na alma e de contar o que se passava na minha vida.
Percurso na poesia:
Depois do meu primeiro poema nunca mais deixei de escrever (acho que se pode dizer que lhe tomei o gosto) pois foi a forma que encontrei de dar asas ao meu pensamento e à minha alma. Participei em alguns concursos e prémios mas sobretudo fui escrevendo para a gaveta.
Vivências devido à poesia:
Um dos momentos, de entre muitos, que me marcou foi quando no 10º ano fiquei em 3º lugar num concurso organizado pela escola que frequentava e dirigido a todos os alunos dos 10º, 11º e 12º da escola. Houve uma cerimónia de entrega de prémios na sala de convívio com direito a subir ao palco, palmas e tudo mais. O meu prémio foi um livro Ben-Hur que até hoje guardo religiosamente e com especial carinho.
O melhor deste prémio de poesia:
Dá oportunidade às pessoas de mostrarem o seu trabalho e leva a que saiam da gaveta grandes textos como se pode comprovar ao ler os textos que foram apresentados a concurso.
Sugestão para este prémio de poesia:
Seria justo atribuir 3 prémios, de forma a premiar um maior número de participantes.
Para terminar:
Queria deixar os meus sinceros parabéns a todos os que participaram neste prémio porque todos têm muito mérito e sobretudo fazer votos de que todos continuem a escrever e que numa próxima iniciativa sejamos ainda mais e ainda melhores.

Sem comentários:

Enviar um comentário